Fraude no leite

Os consumidores requerem alimentos seguros e exigem, cada vez mais, produtos com qualidade e garantias. No caso do leite, a cadeia, que começa com os produtos rurais, passando pela indústria, o distribuidor e o varejo, busca boas práticas para oferecer os melhores padrões sanitários, nutricionais e de higiene. O produtor de leite, dentro de sua propriedade, vem aperfeiçoando o manejo dos animais e o processo de ordenha e conservação. Houve uma mudança da ordenha manual para mecanizada, leite canalizado da ordenha até o resfriador que, por sua vez, mudou de galão para modernos equipamentos de inox. Tudo isso para atender às normativas da fiscalização e o enquadramento do nosso produto nos padrões desejados.
A fiscalização sobre a produção é rigorosa, devendo o produtor se adequar às leis da vigilância sanitária, com vacinas, testes que comprovem a sanidade dos animais e a higiene nos galpões, nos equipamentos e até nos trabalhadores que executam a ordenha. A indústria deve ser inspecionada pelo serviço público, municipal, estadual ou federal, além de ter responsável técnico no processo de fabricação ou beneficiamento. O consumidor ao comprar um alimento considera o preço e a qualidade, muitas vezes influenciado pela propaganda e por promoções de venda. No elo desta cadeia, aparentemente harmônica, existe o intermediário, que se estabelece entre o produtor e a indústria. Pouco ou quase nada fiscalizados, compram leite diretamente dos produtores, transportam até entrepostos, e deste vendem para as indústrias. Algumas indústrias, para se desincumbirem da difícil missão de recolher leite propriedade por propriedade, fazendo caminhos longos em estradas de difícil trafegabilidade, preferem comprá-lo destes transportadores/atravessadores, abrindo mão da qualidade, fidelidade e segurança. A fraude existe na adulteração da qualidade do leite, com a adição de produtos indesejáveis e água. A água diminui a qualidade e outros produtos utilizados na mistura para burlar as análises, certamente comprometerão a saúde dos consumidores. Precisamos de maior fiscalização.
Produtor rural em Capão Bonito do Sul/RS

Fonte: Jornal do Comércio | Luiz Fernando Branco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *