Fortunati afasta secretário para contribuir com investigação da PF

Luiz Fernando Záchia está entre os detidos em operação de combate a crimes ambientais

Sede da Smam foi vistoriada pela Polícia Federal<br /><b>Crédito: </b> André Ávila

Sede da Smam foi vistoriada pela Polícia Federal
Crédito: André Ávila

O prefeito José Fortunati foi informado sobre a Operação Concutare da Polícia Federal pelo superintendente do órgão no Rio Grande do Sul Sandro Luciano Caron de Moraes e pelo ministro da Justiça José Eduardo Cardozo nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira, por telefone. Entre os 18 detidos estão o secretário municipal do Meio Ambiente, Luiz Fernando Záchia (PMDB) e o secretário estadual do Meio Ambiente, Carlos Niedersberg (PC do B).
A primeira medida, segundo Fortunati, foi afastar o secretário Záchia do cargo. Cauteloso, porém, ele garante que não faz juízo de valor e quer contribuir com as investigações. “Sem fazer juízo de valor, mas afastei como tenho feito em todos os processos de onde surgiram dúvidas sobre a postura ou de secretários ou de outros servidores. Nós queremos colaborar de forma absoluta, isso é de interesse público, e é meu interesse como gestor da cidade”, esclareceu em entrevista à Rádio Guaíba.
Fortunati designou o procurador-geral do município João Batista Linck Figueira para acompanhar o desdobramento da ação na sede da superintendência da Polícia Federal, em Porto Alegre. “Queremos ter acesso para ver o que consta relativamente ao ex-secretário Luiz Fernando, qual o envolvimento dentro do âmbito do município”, explicou. “Não há caráter de mérito, de julgamento, ou pré-julgamento, mas é uma atitude por garantia do próprio secretário e do próprio serviço”, completou, sobre o afastamento de Záchia.
Conjuntamente com o Ministério Público do Estado, os policiais federais cumpriram 29 mandados de busca e apreensão e de prisão temporária expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região. As ordens judiciais foram cumpridas nos municípios gaúchos de Caçapava do Sul, Canoas, Caxias do Sul, Pelotas, Porto Alegre, Santa Cruz do Sul, São Luiz Gonzaga e Taquara, além de Florianópolis, em Santa Catarina.
Na Capital, os policiais federais vistoriaram uma sala comercial localizada em um prédio na avenida Farrapos, na esquina com a rua Barros Cassal. No local, funcionaria uma empresa de consultoria. Documentos foram apreendidos. A sede da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) também foi inspecionada. A ação identificou um grupo criminoso formado por servidores públicos, consultores ambientais e empresários. Os investigados atuariam na obtenção e na expedição de concessões ilegais de licenças ambientais e autorizações minerais junto aos órgãos de controle ambiental.
Ainda pela manhã, a prefeitura de Porto Alegre publicou uma nota no site oficial, onde explica o afastamento dos supostos envolvidos no esquema.
Leia a nota na íntegra:

"Tendo em vista as informações sobre o envolvimento dos servidores municipais na operação sobre licenciamentos deflagrada pela Polícia Federal (PF), na manhã desta segunda-feira, 29, o prefeito José Fortunati determinou o afastamento de todos as pessoas apontadas na investigação, que ocupem cargos no serviço público municipal, até o fim do trabalho da PF. “Não se trata de qualquer julgamento prévio, mas de uma iniciativa para preservar e garantir a total transparência ao processo”, afirmou Fortunati".

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *