Folha: Crise passa longe do agro, e valor real da produção sobe 10% no ano

Apenas soja e milho vão obter R$ 261 bilhões dentro da porteira, mas mandioca, banana e batata perdem receitas

O produtor rural vive um de seus melhores momentos. Safra recorde, câmbio extremamente favorável às exportações, demanda externa aquecida e preços elevados, tanto interna como externamente.

Tudo isso resulta em um VBP (Valor Bruto da Produção) de R$ 742 bilhões da agropecuária neste ano, um patamar jamais atingido e que registra uma alta de 10% em relação a 2019. Essa evolução é real, já descontada a inflação medida pelo IGP-DI da FGV.

Os bons momentos deste ano não são isolados. A evolução real do VBP, o que concretiza renda para o produtor dentro da porteira, é de 51% nos últimos dez anos. Ou seja, um aumento real de 4,2% ao ano. Esses números não consideram evolução de custos.

Colheita de milho na zona rural de Planaltina, região administrativa do DF

Colheita de milho na zona rural de Planaltina, região administrativa do DF – Pedro Ladeira/Folhapress

2019 foi o ano da pecuária. Este está sendo o das lavouras, que devem registrar valor de produção de R$ 494 bilhões e evolução real de 12%. O VBP da pecuária, após os 8% de crescimento real no ano passado, atinge R$ 249 bilhões neste e aumenta mais 6%.

Os números são previsões do Ministério da Agricultura, que mostra soja e milho como as maiores fontes de rendas na agricultura neste ano.

A soja, com uma colheita recorde de 121 milhões de toneladas, deverá gerar um valor de produção de R$ 182 bilhões. Esse montante de dinheiro supera em 22% o de 2019, já descontada a inflação.

O milho, a segunda maior fonte de renda para o produtor, deverá atingir um VBP de R$ 79 bilhões, 15% mais do que em 2019.

Sendo que os produtores em geral plantam soja na primeira safra e milho na segunda, praticamente serão canalizados R$ 261 bilhões no ano para esses mesmos agricultores.

Mas nem tudo é alegria no campo. As culturas de mandioca, banana, batata, tomate, uva e mamona, produtos geralmente destinados ao mercado interno, vão ter um valor de produção bem inferior ao do ano passado.

Algodão também entra nessa lista, mas o setor vinha em um ritmo crescente. O VBP de R$ 44 bilhões deste ano supera em 681%, em termos reais, o de há dez anos.

Na bovinocultura, o valor da produção sobe para R$ 107 bilhões. A demanda externa mantém esse setor com preços internos aquecidos. O mesmo ocorre com suínos e frango, embora esse último terá um recuo no valor da produção em 2020.

Aqui e Após o Brasil anunciar recordes de produção de soja e de milho nesta terça-feira (11), hoje foi a vez de os Estados Unidos também apresentarem números bastante elevados.

Milho A safra do cereal atingirá o recorde de 388 milhões de toneladas e a de soja, 120 milhões nos EUA. A concorrência com o Brasil aumenta. Eles esperam exportar 58 milhões de toneladas de soja e 57 milhões de milho.

Bom parceiro A boa notícia que o Usda (Departamento de Agricultura) traz para o Brasil é que a China vai elevar para 99 milhões de toneladas as importações de soja em 2020/21.

Tempestade Os números de safra do Usda não contemplam ainda os efeitos da forte tempestade ocorrida em algumas áreas do Meio-Oeste na segunda-feira (10). Iowa, importante na produção de grãos, foi um dos estados mais afetados.

Vaivém das Commodities

A coluna é assinada pelo jornalista Mauro Zafalon, formado em jornalismo e ciências sociais, com MBA em derivativos na USP.

Fonte: Folha

Compartilhe!