Focada no pequeno varejo, Rodopa eleva faturamento

Fonte: Valor | Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Carol Carquejeiro/ Valor

Sérgio Longo, da Rodopa, espera segundo semestre melhor que o primeiro

A Rodopa Alimentos – dona da marca Tatuibi – fechou o primeiro semestre com um faturamento bruto de R$ 417,1 milhões, 31,1% acima do mesmo intervalo do ano passado. O lucro antes de juros impostos e depreciação (Lajida) ficou em R$ 25,590 milhões, quase o dobro dos R$ 12,8 milhões do primeiro semestre de 2010. A margem Lajida do frigorífico também subiu, de 4,2% para 6,5% na mesma comparação.

O resultado líquido no semestre foi um lucro líquido de R$ 13,543 milhões, 147% de crescimento em relação a igual período de 2010, segundo a empresa.

De acordo com Sergio Longo, diretor geral executivo da Rodopa, a política de focar as vendas de carne bovina no pequeno e médio varejo e no food service – que têm melhores margens – levou aos números no semestre. "Operamos em mercados em que os grandes [frigoríficos] não estão", disse o executivo, que já foi diretor-financeiro da JBS S.A. A estratégia é decorrência da reestruturação da Rodopa, iniciada há cerca de um ano com o processo de profissionalização.

Segundo ele, também contribui para os números um processo de "readequação de mão de obra" da companhia. No começo do ano, a empresa tinha 1.900 funcionários, mas, no primeiro semestre, cortou 300 postos nas unidades de Santa Fé do Sul e Ipuã, ambas em São Paulo, e em Cassilândia (MS). "Melhoramos a produtividade das plantas", afirmou Longo. Além dessas fábricas, a Rodopa tem operação ainda na cidade de Goiás (GO), arrendada no primeiro semestre deste ano.

A fatia da exportação no faturamento da companhia ainda é pequena, mas a Rodopa destaca o avanço de 36% nas vendas no primeiro semestre em relação a igual período de 2010, para US$ 29,8 milhões. Os embarques cresceram puxados por vendas ao Oriente Médio e Europa.

A empresa acaba de receber habilitação para vender carne bovina também à Ucrânia. O principal benefício dessa habilitação, segundo Longo, é a possibilidade de vender diretamente ao país. Antes as vendas iam para a Rússia, que as destinava ao país vizinho. Além de menos burocracia, isso significa margens melhores, disse ele.

O diretor do Rodopa espera um segundo semestre melhor do que o primeiro, mas ponderou que os resultados vão depender das condições das margens. "Preferimos vender menos, mas com uma margem melhor", disse. Em 2010, a Rodopa faturou R$ 766 milhões e a expectativa inicial é alcançar R$ 900 milhões este ano.

No fim do primeiro semestre de 2011, a empresa tinha uma dívida líquida de R$ 84,3 milhões. A alavancagem (dívida líquida/lajida) está em 1,3 vezes, segundo a companhia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *