Fiscais desafiam governo e paralisam as atividades

Iniciada na segunda-feira, a greve dos fiscais agropecuários federais se agravou. Os grevistas suspenderam integralmente suas atividades, em resposta à decisão do governo federal de convocar fiscais agropecuários estaduais e municipais para realizar o trabalho dos inspetores do Ministério da Agricultura.

Na iminência de paralisarem a produção, as agroindústrias de aves e suínos de Santa Catarina pediram ontem ao presidente do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical), Wilson Roberto de Sá, a manutenção da emissão das guias de exportações ao nível mínimo de 30%. No encontro, realizado no porto de Itajaí (SC), as indústrias ressaltaram as dificuldades do setor. Sem conseguirem obter as autorizações para comercializar seus produtos, as empresas informaram que devem "aguentar" só mais dois dias sem que sua produção precise ser ajustada ou paralisada.

Procurado pelo Valor, o presidente do sindicato disse que, apesar de compreender o problema, mantém a decisão de paralisar todas as atividades. "Não vamos atender absolutamente nada até que o governo revogue a portaria [que convoca os fiscais dos Estados e municípios]", disse Roberto de Sá.

A paralisação deve afetar a missão sanitária da Venezuela aos frigoríficos do país. "Não vamos atender a missão venezuelana que está chegando hoje [ontem]", segundo o sindicalista. Apesar da ameaça, o governo garantiu à indústria que enviará um efetivo para acompanhar os técnicos venezuelanos. "Mas ainda que a visita seja acompanhada, não sabemos se vai ter gente qualificada para isso", disse uma fonte da indústria.

© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/empresas/2783762/fiscais-desafiam-governo-e-paralisam-atividades#ixzz239DYNeiT

Fonte: Valor | Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *