Fiscais agropecuários em greve aguardam proposta do governo até o fim da semana

Categoria entrou em greve nesta segunda e reivindica reajuste salarial, melhores condições de trabalho e ampliação do quadro de servidores

Sebastião Garcia e Letícia Luvison | Santos (SP)

Diego Redel

Foto: Diego Redel / Agencia RBS

Mesmo com a greve, dia foi de movimento no Porto de Santos nesta segunda

Fiscais agropecuários de todo o país entraram em greve nesta segunda, dia 6. Os servidores reivindicam reajuste salarial, melhores condições de trabalho e ampliação no número de profissionais. No Porto de Santos, um dos maiores do país, a greve não comprometeu a movimentação de cargas neste primeiro dia.

A fiscalização sobre produtos agropecuários é apenas uma das atribuições do profissional. Ele é o responsável pela emissão do certificado e faz o controle do trânsito de todos os produtos agropecuários tanto de origem animal quanto vegetal, além dos insumos que entram e saem do país. No Porto de Santos, trabalham atualmente 34 fiscais, mas, segundo o representante do sindicato da categoria, Paulo Roberto de Carvalho Filho, seria necessário o dobro para atender a demanda.

– Os pontos de reivindicação são a melhoria da estrutura física, instituição da escola preparatória para fiscais federais agropecuários e contratação de pelo menos 1500 vagas de forma imediata – afirma.

Em Santos, o primeiro dia de greve começou com reuniões a portas fechadas no prédio onde funciona a sede do sindicato e a unidade do Ministério da Agricultura. No porto, navios foram atracados normalmente para embarque e desembarque de mercadorias. O sindicato garante que os serviços essenciais, entrada e saída de produtos como vacinas, medicamentos, substâncias, animais vivos e  plantas, não serão comprometidos mesmo com a paralisação. Já tramitação de processos e liberação de licenças de importação estão suspensos.

Os fiscais se juntam a outras categorias de servidores públicos que estão em greve, como professores de universidades federais e funcionários do poder executivo. A categoria espera receber alguma proposta dos ministérios da Agricultura e do Planejamento até o fim desta semana.
Governo pode recorrer à Justiça para garantir fiscalização de carnes

O secretário de Defesa Agropecuária, Ênio Marques Pereira, informou que o Ministério da Agricultura montou um grupo de monitoramento da greve dos fiscais federais, que começou nesta segunda, dia 6, em todo o território nacional. Ele disse que as informações serão avaliadas ao final do dia e, se houver descumprimento dos serviços essenciais, como a fiscalização de carnes, o governo irá recorrer à Justiça.

Pereira afirmou que o sindicato é responsável por a categoria garantir o efetivo para os serviços essenciais.

– Temos a Lei e, quando não houver bom senso por parte dos servidores, iremos recorrer à Justiça – reiterou.

O Ministério da Agricultura divulgou nota em que relata o primeiro boletim do grupo de acompanhamento. Apesar do indicativo de greve, a situação ao longo do dia foi normal nas atividades de fiscalização e outros serviços nos Estados, diz o comunicado.

CANAL RURAL

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *