FINANCIAMENTO AGRÍCOLA – Fim de isenção de impostos na LCA pode prejudicar oferta de crédito rural

O título é importante para composição do Plano Safra. Na temporada anterior, por exemplo, representou 40,5% dos recursos voltados à comercialização

lca

Foto: Pixabay/montagem

A equipe econômica do governo quer acabar com a isenção de imposto de renda em algumas aplicações financeiras, entre elas, a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), título que ajuda a levantar recursos para o crédito rural. Se, por um lado, o fim da isenção pode trazer mais recursos ao governo por meio do imposto de renda, por outro, deixaria o título menos atrativo, e consequentemente obrigaria o governo a buscar alternativas para compor o montante destinado ao setor produtivo no plano safra.

Do valor total de crédito rural ofertado na safra 2018/2019, R$ 29,6 bilhões vieram da LCA, o que representa 16,9%. Já no crédito para comercialização, o título representou 40,5% dos recursos totais da safra passada.

O diretor da Wedekin Consultores, Ivan Wedekin, afirma que não há alternativas à LCA como recursos para o crédito rural. “Não vejo como arrumar R$ 30 bilhões em outro lugar. Nem os bancos emprestariam esse montante a juros de mercado”, diz.

  • Caso o ministro da Economia, Paulo Guedes, leve o projeto adiante, a agropecuária poderá contar com menos recursos na próxima safra. “Querem alterar a agricultura do Brasil, que está entre as que custam menos ao Tesouro entre os principais países produtores do mundo. Vamos botar fogo em um setor que contribui e cresce?”, pergunta Wedekin.

    Esta não é a primeira vez que o governo discute o fim da isenção de títulos como LCA e Letra de Crédito Imobiliário (LCI). O governo de Michel Temer tentou mudanças por duas vezes, mas não conseguiu levar a ideia adiante.

    Por Carolina Souza, de São Paulo

    Fonte : Canal Rural

    Compartilhe!