FETAG TEME FALTA DE MILHO EM PROGRAMA

Com estoque baixo, Conab reduz teto de compra para 6 mil toneladas

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag) solicitou a remoção urgente de 50 mil toneladas de milho ao Ministério da Agricultura (Mapa) para garantir oferta pelo Programa de Venda a Balcão. Segundo a federação, o grão é necessário para atender à demanda dos pequenos criadores de aves, suínos e gado leiteiro até que a safra que começou a ser colhida chegue a quem precisa alimentar seus animais. A medida visa amenizar o baixo estoque da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no Estado. Na segunda quinzena de janeiro, a companhia reduziu o limite máximo por adquirente para a compra de milho pelo programa. Com isso, o teto caiu de 12,5 t para 6 t ao mês. Os motivos para o corte, segundo o superintendente regional substituto da Conab/RS, Ernesto Irgang, são a redução dos estoques e a época de colheita.

De olho no abastecimento, lideranças reclamam da situação. ‘Estamos preocupados porque não atende à demanda dos agricultores familiares. Desta forma, eles não vão conseguir alimentar os animais’, enfatiza o assessor de Política Agrícola da Fetag Airton Hochscheid. De acordo com ele, apesar de a colheita já ter começado, o grão oriundo da safra 2013/2014 somente estará disponível para a compra no campo em meados de fevereiro, quando a oferta estará no seu auge.

Atualmente, a disponibilidade de milho para o Programa de Venda a Balcão é de 13,043 mil toneladas no Estado. O grão está em armazéns dos municípios de Erechim (4.387 t), Cachoeira do Sul (4.136 t), Estrela (3.146 t) e Garibaldi (1,374 t). Para ampliar um pouco a oferta, o Estado ainda aguarda a remoção de 7,5 mil toneladas, saldo de uma operação realizada em 2013 que será destinado a Erechim e Estrela.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *