Fenasoja é palco para audiência pública sobre o cooperativismo

 

A 21ª Fenasoja, realizada em Santa Rosa, no Rio Grande do Sul, foi palco da audiência realizada pela Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal. Participaram representantes de cooperativas, entidades ligadas ao setor e de órgãos do governo. A audiência foi presidida pela Senadora Ana Amélia (PP).
A presidente da CRA, senadora Ana Amélia, destacou a importância do trabalho das cooperativas e enfatizou que elas precisam de mais apoio por parte do poder público. “É necessário investimento em gestão, em inovação, mas sobretudo em assistência técnica. O agricultor é forte, corajoso, mas quanto mais conhecimento e tecnologia avançada tiver a sua disposição, mais chances terá de aumentar a sua produtividade, e claro, a sua própria renda”, afirmou.
O cooperativismo do Rio Grande do Sul, mais precisamente a sua força, foi enfatizado pelo presidente da Fecoagro, Paulo Pires, que segundo ele, as cooperativas gaúchas contam com 393 mil associados e 27 mil funcionários. Além destes números expressivos, o faturamento nos últimos três anos tem aumentado, chegando aos 11%. “Uma das maiores responsabilidades para os próximos anos, e que tem total apoio da Fecoagro, é a maior assistência técnica para as cooperativas e aumentar a eficiência do trabalho nos Portos, o que reflete diretamente no retorno financeiro do produtor”, destacou.
Vergilio Perius, presidente do Sescoop-RS, apresentou números que mostram o grande crescimento do setor em todo o estado gaúcho. São informações que demonstram, por exemplo, que os salários médios das cooperativas são maiores que o de empresas privadas e destacou também a união entre os trabalhadores, o que é essencial para desenvolvimento e prosperidade do cooperativismo. “Os indicadores dos mapas mundiais de crescimento do cooperativismo sempre apontam que o sistema cresce na crise, nunca na riqueza, porque é nesses momentos que as pessoas se unem”, disse Vergilio.
O cooperativismo não somente um modelo socioeconômico é mais do que isso, é uma filosofia de vida que é capaz de unir o bem-estar social e o desenvolvimento econômico. O cooperativismo é a reunião de pessoas com o mesmo objetivo e não tem o foco no capital. É uma opção democrática já que leva ao sucesso com equilíbrio e justiça entre os participantes.
A audiência foi importante para mostrar como o cooperativismo pode ser benéfico para a sociedade como um todo.

Fonte : Easycoop