FEIRAS – Expointer deve ser adiada para meados de setembro

Modelo da feira, que em 2020 teve público reduzido, ainda é incerto

Modelo da feira, que em 2020 teve público reduzido, ainda é incerto

O tempo está cada vez mais curto para se realizar a Expointer 2021 em sua data tradicional. Geralmente ocorrendo no último final de semana de agosto e início de setembro, o evento, que ainda não teve sua confirmação oficial para este ano, deve ser empurrado para meados de setembro.

É o que indicam diversas reuniões que têm ocorrido entre o governo gaúcho, entidades que participam da organização da feira e a prefeitura de Esteio, cidade que recebe o evento.

"Não há definição sobre a data, mas provavelmente vai haver uma prorrogação de duas semana pra frente, na segunda semana de setembro mais ou menos", afirmou Leonardo Pascoal (PP), prefeito do município, sobre o evento tradicionalmente realizado no início de agosto.

Para ele, o debate mais importante é "sobre qual Expointer estamos falando": "Acreditamos que é possível preservar a parte de negócios, que movimenta menor público e acontece ao ar livre, mas defendemos que não pode se realizar uma com atividades de entretenimento e lazer, como parque de diversões, shows e barraquinha de chope", alertou Pascoal.

O prefeito acredita que uma Expointer com a presença de público é viável, mas defende protocolos sanitários rígidos com testagem e público reduzido. Pascoal afirma que trabalha de "em parceria e de forma sinérgica" com o Governo do Estado, mas o Município tem autonomia para a tomada de decisão.

O presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no Rio Grande do Sul (Simers), Cláudio Bier, relatou que "o ideal é que fosse a mesma data, que já nem é mais possível. O que conseguimos perceber é que vai ser proposta uma data em setembro, possivelmente entre os dias 15 e 30".

Para as empresas de máquinas agrícolas, a realização de um evento tardio representa venda menor de produtos, visto que grande parte da aquisição de maquinário seria para utilização já na próxima safra: "Se passar para setembro, o prazo para a compra de equipamento vai ficar curto e [alguns produtores] vão deixar para o ano que vem", afirmou o empresário.

Além disso, o planejamento das empresas já está sendo afetado pela indecisão acerca de data e formato do evento. Segundo Bier, as "indústrias, antes de vir à feira, precisam 90 dias antes reservar hotel pra todo departamento de vendas, pagar estande, aluguel terreno… existe um custo alto anterior ao evento", pondera.

Grandes fabricantes de máquinas, como John Deere, AGCO e New Holland, têm evitado participar de feiras presenciais. Porém, a posição do sindicato é pela realização do evento mesmo em setembro, e Bier afirma que está fazendo ‘o possível’ para que os associados compareçam.

Da mesma forma se posiciona a Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (Febrac). "É uma demanda muito grande dos associados. Fizemos uma reunião com presença maciça de ovinos, equinos e bovinos, e a posição foi unânime pela participação no evento. É possível e importante que aconteça", afirmou Leonardo Lamachia, presidente da Febrac.

Ele cita a Expointer 2020 como um exemplo de organização responsável e possível num contexto de pandemia. Mas avisa: "a data teria que ser ou a tradicional, ou no máximo início de setembro, pois depois disso começam as feiras de primavera e eventos são definidos pelos ciclos, além da temporada de monta dos animais".

Para Lamachia, o ideal seria a realização de um evento parecido com o do ano passado, com restrições, público reduzido e formato híbrido, mas alerta que essa decisão precisa ser tomada o mais rápido possível e espera que a confirmação da data da Expointer ocorra na próxima semana.

Em paralelo, a Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, a Secretaria Estadual da Saúde e a prefeitura de Esteio se reúnem regularmente para viabilizar o evento. Ainda não há confirmações oficiais sobre data do evento e nem formato. Procurada, a Secretaria da Agricultura não deu mais informações.

/MÁRCIO BRAGA/DIVULGAÇÃO/SEAPDR/JC

Diego Nuñez

Fonte : Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *