FEIRAS – Expointer é confirmada para fim de setembro com eventos presenciais e virtuais

Após cancelar a feira, governo do Rio Grande do Sul voltou atrás e decidiu realizar programação híbrida entre 26 de setembro e 4 de outubro

+Expointer, no Parque Estadual de Exposições Assis Brasil, Esteio/RS  (Foto: Dani Barcellos/Palácio Piratini)

Edição inédita ocorrerá no ano em que o Parque Assis Brasil, em Esteio (RS, completa 50 anos: (Foto: Dani

Por conta da pandemia do coronavírus, a 43ª edição da Expointer não terá a presença de público no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). Mesmo assim, a organização realizará um evento em formato híbrido entre 26 de setembro a 4 de outubro para atender a demanda do público que esteve presente em 2019.

"A gente vai aproximar aquelas mais de 420 mil pessoas que estiveram na Expointer do ano passado participando diretamente de suas casas através deste formato”, afirmou nesta segunda-feira (31/8), o secretário da Agricultura do Rio Grande do Sul, Covatti Filho, durante o anúncio oficial do evento feito pelo governo gaúcho. SAIBA MAIS

Expointer 2020 é cancelada devido à pandemia de Covid-19

A comunidade interessada terá acesso a quatro canais com programação diária sobre agronegócio: um com informações gerais da feira, outro sobre pecuária, um terceiro para abordar agricultura e um quarto reservado para a parte cultural, o que inclui shows com música ao vivo.

Os produtores e a indústria ainda terão direito a salas de reuniões para a apresentação de produtos e serviços, comercialização e negociações, além da disponibilidade de consultores em caso de dúvidas. Os agricultores familiares terão um espaço exclusivo nesta edição para a venda de seus alimentos.

SAIBA MAIS

Agrishow 2020 é cancelada e organização confirma próxima edição para abril de 2021

Uma das maiores feiras do agronegócio, a Expointer faturou R$ 2,7 bilhões no ano passado, sendo R$ 2,5 bilhões referentes ao setor de máquinas e implementos agrícolas. Neste ano, o presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no Rio Grande do Sul (Simers), Claudio Affonso Bier, espera que a receita supere R$ 2,3 bilhões.

Para isso, uma edição especial para a indústria de máquinas começou no último sábado (29/8) e vai até o próximo domingo (6/9) – o canal de vendas ficará ativo até o dia 4 de outubro, quando a Expointer é encerrada. “No primeiro final de semana, que tradicionalmente não é de negócios, já tivemos 4 mil clientes de 10 países visitando o site”, afirmou Bier.

SAIBA MAIS

Demanda por alimentos ajuda na recuperação do setor de máquinas agrícolas

“É uma novidade, e toda novidade no início assusta. A Expointer digital veio para ficar. Tenho certeza que no ano que vem estaremos celebrando as duas feiras, a física e a digital. Para o nosso setor, é um instrumento de vendas muito importante", disse o presidente do Simers.

Caso seja alcançada, a receita representará um marco para uma edição online de uma feira do agronegócio. Para efeito de comparação, a edição digital da Feira Agrotecnológica do Tocantins (Agrotins), uma das maiores da região norte do país, faturou apenas R$ 215 milhões – a expectativa inicial era fatura acima de R$ 2,5 bilhões.

SAIBA MAIS

Pela primeira vez online, Agrotins começa projetando mais de R$ 2,5 bi em negócios

Agrishow Experience

Para dar visibilidade à marca e incentivar os debates no agronegócio em momento de produção recorde da agricultura brasileira, a Agrishow resolveu organizar o Agrishow Experience, ciclo de palestras entre 14 e 19 de setembro, com temas como máquinas e implementos, energias renováveis, tecnologia, inovação, irrigação e cooperativismo.

O presidente da Agrishow, da Francisco Matturro, explica que não se trata de uma edição digital da feira, uma das maiores do agronegócio da América Latina e que movimentou R$ 2,9 bilhões no ano passado. “A proposta é manter a marca ativa e todo mundo conectado até que as coisas voltem à normalidade. Não se trata da Agrishow Digital porque praticamente todos os expositores têm a sua rede de concessionárias e fornecedores”, disse.

SAIBA MAIS

Locação de máquinas agrícolas vem crescendo no Brasil

“Fica complicado (uma edição digital) porque em setembro começa o plantio da safra, com a comercialização de defensivos e adubos. É um momento em que todas as decisões são tomadas. Então, não é o propósito neste momento, mas pode evoluir para a Agrishow Digital”, pontuou Matturro.

Segundo ele, fazer uma previsão para a presença de público ou o faturamento da edição 2021 seria uma "irresponsabilidade". "Todos os indicadores (da agricultora) são positivos. Mas qualquer previsão para o ano que vem é uma falta de responsabilidade porque não sabemos até quando vai a pandemia da Covid-19", frisou.

Matturro ressaltou, ainda, que uma das principais pautas do evento neste mês será sustentabilidade. "Este é um tema presente em qualquer discussão no agronegócio. Essa conversa de achar que é possível produzir com desmatamento não existe mais. Temos que dizer que é possível produzir sem prejudicar o meio ambiente", concluiu.

FERNANDO BARBOSA

Fonte : Globo Rural

Compartilhe!