Feiras, debates e dias de campo virtuais: as estratégias de multinacional na pandemia

Syngenta acelerou a entrada de ferramentas digitais que vinha desenvolvendo

Syngenta / Divulgação
Estações Novas Tecnologias é um dia de campo virtual, em que são apresentadas perspectivas e novas tecnologias do setorSyngenta / Divulgação

A tecnologia sempre teve um papel importante na atividade do agronegócio. Não por acaso, empresas do setor têm respondido com agilidade aos desafios impostos pela pandemia. E as ferramentas digitais ganham ainda mais espaço e dão amplitude na hora de manter o relacionamento com os produtores em dia. A multinacional Syngenta deu velocidade a iniciativas que vinha desenvolvendo.

— O contingenciamento (da pandemia) provocou uma transformação digital. Todo mundo começou a se conectar.  Como  já estávamos preparados, só percebemos que precisávamos acelerar. O efeito coronavírus tem esse potencial de antecipação, e as empresas que já estavam acreditando nisso, se preparando, estão vivendo a primeira onda de assegurar conexão com os agricultores — avalia André Savino, diretor comercial e de marketing da Syngenta.

Uma das ações, a Feira Digital 360°, reproduz o ambiente de exposições do agro — por ora canceladas ou adiadas pela covid-19. Com a vantagem, argumenta Savino, de que você pode reunir os melhores profissionais para falar, o que talvez não fosse possível em um estande real. Há ainda os debates (Digital Talks), os dias de campo virtuais e encontros técnicos.

— Existe demanda por informação de qualidade. Com a plataforma digital, esse conhecimento ganha escala.

Além da comunicação, as ferramentas digitais também terão um papel importante na gestão na avaliação do executivo. E essa aposta aparece nos movimentos da companhia, que em 2018 comprou a Strider, empresa de tecnologia que trabalha no monitoramento de pragas e de máquinas, auxiliando no gerenciamento das informações da produção.

Abastecimento garantido

De origem suíça, a Syngenta foi adquirida pela chinesa ChemChina em 2017, dando origem a uma das gigantes globais do agronegócio, abrangendo produtos químicos e sementes. Essa configuração também permitiu uma estratégia de produção e de abastecimento robustas, segundo o diretor comercial e de marketing André Savino. Com unidades de produção em diferentes continentes, não se trabalha com a perspectiva de impacto sobre comercialização de defensivos agrícolas.

—  Estamos abastecidos de produtos, com compromisso de manter nosso quadro, todo time operando.

28/05/2020 – 13h41minAtualizada em 28/05/2020 – 14h00min

GISELE LOEBLEIN

Fonte: Zero Hora

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *