Feira Livre da Agricultura Familiar acontece pela primeira vez na Esplanada dos Ministérios

Das mãos de quem produz direto para os consumidores. Nesta quarta-feira (31), quem passou pelo canteiro do bloco C da Esplanada dos Ministérios se deparou com a Feira Livre da Agricultura Familiar. A iniciativa da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), em parceria com o Governo do Distrito Federal (GDF), reuniu agricultores familiares que levaram um pouco dos produtos do campo à capital do país. O evento acontecerá todas as quartas-feiras até o final do ano, das 8h às 14h.

A abertura oficial da feira contou com a presença do secretário especial da Sead, Jefferson Coriteac, o secretário de estado da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal, Argileu Martins, e o subsecretário da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário do Distrito Federal, Albano da Costa.

Na oportunidade, o secretário de estado da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal, Argileu Martins, destacou que a ação é uma das estratégias mais efetivas para o fortalecimento da agricultura familiar. “Isso se dá por uma razão muito simples: um dos problemas históricos e recorrentes da agricultura familiar é o que nós chamamos de ‘imperfeição de mercado’, porque quando ela está desarticulada e desorganizada, ela compra os insumos a um custo elevado e vende os produtos a um baixo custo. O circuito curto de comercialização como é feito nessa feira é justamente romper diversos elos e simplificar esse processo. Brasília tem mais de 50 feiras como essa e isso tem permitido que as famílias possam continuar no campo, continuar produzindo renda e, consequentemente, continuar produzindo alimento saudável.”

O secretário especial da Sead destacou a importância de trazer produtos da agricultura familiar diretamente para as mãos das pessoas. “Muitos de nós compramos alimentos, consumimos alimentos, mas não sabemos de onde vêm, e com a feira gostaríamos de mostrar que esses produtos de alta qualidade e livre de agrotóxicos são da agricultura familiar. A ideia de fazer isso aqui na frente do Bloco C é exatamente para mostrar que tem agricultura familiar. Encerro com uma frase que eu acredito: o crescimento do Brasil passa pela agricultura familiar. Vamos acreditar nisso e fazer o que for possível para isso acontecer.”

A assentada da reforma agrária, Márcia Lopes de Alencar, de 38 anos, uma das agricultoras a participarem da feira ressalta que ficou muito feliz com a iniciativa. “Achei a ideia maravilhosa. É um público que a gente não tinha acesso e agora centralizamos em um lugar específico e encontramos um público que gosta de se alimentar bem.”

Além disso, a agricultora familiar que planta hortaliças, batatas, cenouras e beterrabas enaltece a importância de uma produção orgânica. “Nós não utilizamos agrotóxicos. Para nos livrarmos de infestações e nossos alimentos crescerem, jogamos caldas de alho, arruda, cravo em cima que não mata nenhum inseto, só os repele.”

Ascom Sead

Carolina Gama
Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário

Fonte : MDA