Falta de luz é tema de reunião no Alto Uruguai

Entidades da região do Alto Uruguai participaram de uma reunião, por videoconferência, com representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O encontro aconteceu para que fosse exposta a problemática relacionada à falta de energia elétrica na região, que tem sido recorrente, além da demora no restabelecimento do serviço, o que traz diversos prejuízos. Exemplo disso ocorreu no fim de junho deste ano, após a passagem de um vendaval, quando várias comunidades, principalmente do interior, chegaram a ficar mais de uma semana sem luz.

Na reunião, foi lembrado que em 2011 um movimento envolvendo a agência reguladora, Procon e Ministério Público pressionou a concessionária RGE a apresentar um plano de ação com melhorias. No entanto, as medidas apresentadas na ocasião foram insuficientes diante da demanda defendida pelas entidades, tendo em vista que a falta de investimentos para proporcionar redes de energia elétrica de qualidade é um problema histórico, voltando à tona recentemente com a passagem do vendaval.

Ficou acordado com a Aneel que a agência fará um levantamento da situação. Além disso, o Fórum Regional em Defesa da Qualidade da Energia Elétrica aguarda o posicionamento por parte da concessionária, com a apresentação de um novo plano de ação, que deverá ser avaliado para saber se atende às demandas relacionadas aos pedidos de melhorias nas redes.

O coordenador geral do Sindicato Unificado dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Alto Uruguai, Douglas Cenci, destaca ainda que a solução do problema relacionado à energia elétrica é de extrema importância para diversos setores. Especificamente no caso da agricultura familiar, ele pontua que os agricultores têm um conjunto de atividades mecanizadas, dependendo do serviço para diferentes situações, desde alimentar os animais, guardar alimentos, ordenhar e resfriar o leite, entre outros. "Para isso, fazem altos investimentos em suas propriedades, dependendo de um serviço de qualidade no fornecimento da energia elétrica. Quando isso não ocorre, sofrem com altos prejuízos", afirma.

Fonte: Jornal do Comércio

Compartilhe!