Falta de fiscais alerta para falha de controle

Novo concurso federal não deve atender toda a necessidade de profissionais

O déficit crescente de fiscais na ativa ameaça a vigilância sanitária nacional e põe em xeque a qualidade dos serviços prestados em centenas de indústrias. Atualmente, o RS tem apenas 239 fiscais federais agropecuários, contando a atuação na indústria, fronteiras, aeroportos e portos. Segundo o presidente do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa), Wilson Roberto de Sá, 126 são responsáveis pela inspeção em 231 frigoríficos e abatedouros. ‘No mínimo deveria haver um fiscal por abatedouro’, aponta. A inspeção de leite também está defasada, com 60 veterinários para 113 indústrias com SIF. ‘Por este motivo é que ocorreram as fraudes do leite’, desabafa.

Para tentar resolver o problema, o Ministério da Agricultura prepara concurso público. Estão aprovadas apenas 172 vagas, número irrisório se dividido pelos estados brasileiros. O rateio das vagas ainda não está definido e foi alvo de reunião de superintendentes do Mapa com o ministro Antônio Andrade, na semana passada, em Brasília. Presente no encontro, o superintendente do Mapa/RS, Francisco Signor, disse que o RS tem garantidas duas vagas para inspeção. ‘Precisaríamos aumentar a base de laboratórios para acompanhar a demanda por análises.’ Nas contas do presidente da Anffa, seriam necessários, no mínimo, 200 profissionais para suprir a carência no Estado.

O secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, Ênio Marques, admite o problema crônico. Em todo o Brasil, o déficit é de 1,1 mil fiscais. ‘A renovação tem sido menor que a demanda’, reconhece. Além do primeiro concurso público, com 172 vagas para fiscais federais e 150 vagas para agente, Marques garante que serão realizados outros dois concursos com o mesmo número de vagas nos próximos três anos. Os cargos serão, prioritariamente, para portos, aeroportos e inspeção nas indústrias. O secretário afirma que todas as vagas serão para as superintendências estaduais. Marques também assegura que haverá concurso para atender à demanda dos Lanagros. Serão 314 vagas para os seis laboratórios federais.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *