Falta de chuva pode atrasar plantio de soja em MT

Fonte:  Valor | Por De São Paulo

Com o fim do chamado vazio sanitário, Mato Grosso começa oficialmente hoje a temporada de plantio de soja da safra 2011/12. Apesar da liberação, a falta de chuvas no Estado deverá atrasar o início dos trabalhos.

De acordo com a meteorologista da Somar, Cássia Beu, não deve chover de modo consistente na região Centro-Oeste nas próximas duas semanas. "Tivemos algumas pancadas de chuva nos últimos dias, mas foram eventos localizados. Quem começar agora corre um sério risco de ser obrigado a replantar mais para frente", alerta.

Apesar das condições adversas, o cenário ainda não preocupa os sojicultores, mesmo nas regiões onde o cultivo começa mais cedo. "Na maior parte do Estado, o ideal é plantar a partir da primeira semana de outubro. Então ainda temos tempo", afirma o produtor Elso Pozzobon, presidente do Sindicato Rural de Sorriso, e que planeja plantar 3,1 mil hectares de soja nesse ano.

Nas regiões mais ao sul do Estado, como Rondonópolis, o plantio da soja não deve começar antes da segunda quinzena de outubro. Pozzobon observa, porém, que a falta de chuvas no norte pode ser um obstáculo para os produtores que plantam algodão após a colheita da soja em janeiro. "Nesse caso, o atraso pode significar alguma perda de produtividade para o algodão".

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuaria (Imea), ligado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), estima que a área plantada com soja no Estado vai somar 6,6 milhões de hectares, o que significa um incremento pouco inferior a 200 mil hectares em relação à safra passada – estimativas privadas sugerem uma expansão até duas vezes maior. Na safra passada, o Mato Grosso colheu 18,76 milhões de toneladas de soja – um recorde. O valor bruto dessa produção, de acordo com o ministério da Agricultura, será de R$ 14,5 bilhões, aumento de 23% em relação à temporada anterior.

De acordo com estimativa divulgada ontem pela Pasta, o valor bruto da produção (VBP, da "porteira para dentro") nacional da soja deverá alcançar R$ 54 bilhões em 2011, 14,5% mais que no ano passado. O grão é a principal cultura agrícola do país. No total, o VBP dos 20 principais cultivos brasileiros somará R$ 201,1 bilhões, 10,8% acima de 2010 e novo recorde histórico (ver infográfico). (GFJ)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *