Falhas atrasam repasse de verbas para produtores atingidos pela seca no RS

Cerca de 30 mil agricultores gaúchos ainda não tiveram acesso à ajuda

Felipe Zavarize | Segredo (RS)

Diego Vara

Foto: Diego Vara / Agencia RBS

Seca prejudicou produção no Rio Grande do Sul

Cerca de 30 mil agricultores do Rio Grande do Sul ainda não tiveram acesso ao cartão de Emergência Rural, segundo estimativa do governo estadual. A medida, que deveria amenizar os problemas causados pela seca, deixa produtores apreensivos em alguns municípios. O motivo da demora seriam falhas na confecção dos cartões.
Um exemplo da demora é o do agricultor Bráulo Marion, do município de Segredo. Depois de perder mais de 50% do milho e do feijão na última safra, o produtor aguarda o auxilio de R$ 400,00, pedido há três meses.
— A safra já ta aí, então quanto antes receber o dinheiro é melhor. São R$ 400,00, mas ajuda — afirma o produtor.
— Na mesma situação de Marion estão outros 560 agricultores de Segredo. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município, dos 629 cartões esperados, apenas 70 foram entregues.
Dos 100 mil cartões previstos para todo o Estado, 15 mil ainda não foram feitos, segundo a Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo. A preocupação dos sindicatos é que a ajuda chegue tarde demais.
— Agora em agosto ainda não chegaram à maioria dos cartões e isso representa em torno de R$ 300 mil para o município. Esse valor ajuda bastante para tocar a safra e para compra no comércio — afirma o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Miguel Limberguer.
Mesmo quem já recebeu o cartão enfrenta dificuldades. Em alguns municípios, como Passo do Sobrado, no Vale do Rio Pardo, o documento chegou sem saldo. Nestes casos a Secretaria de Desenvolvimento Rural orienta os produtores a procurar o Sindicato da Categoria ou a agência do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) do município.
O Banrisul ressaltou que faz o documento conforme a solicitação da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo e que está com a demanda em dia. A Secretaria informou que muitas cidades demoraram para encaminhar a documentação dos produtores e outras ainda não enviaram o que foi solicitado, o que acabou atrasando a entrega. A previsão é que todos os agricultores com a situação regularizada recebam o cartão estiagem em, no máximo, 15 dias.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *