Exportação de suco continua em ritmo forte

Os embarques brasileiros de suco de laranja somaram 855,8 mil toneladas equivalentes ao produto concentrado e congelado (FCOJ, na sigla em inglês) e renderam US$ 1,556 bilhão nos nove primeiros meses desta safra 2017/18 (julho do ano passado a março último), de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic) compilados pela Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR). Na comparação com o mesmo período da temporada passada, o volume cresceu 29% e a receita foi 30% superior.

O forte avanço reflete sobretudo a recomposição da oferta brasileira após os problemas climáticos que derrubaram a produção brasileira de laranja – e, consequentemente, de suco – em 2016/17. Mas também foi influenciado pela maior demanda dos Estados Unidos, cuja produção é muito prejudicada pelo greening e sofreu com o furacão Irma. As vendas aos americanos alcançaram 139,7 mil toneladas e renderam US$ 404,4 milhões nos primeiros nove meses da temporada – incrementos de 62% e 59%, respectivamente.

Mas o principal mercado para o suco de laranja brasileiro continua sendo a União Europeia. Para o bloco, os embarques atingiram 512,9 mil toneladas (aumento de 20%) ou US$ 929,5 milhões (alta de 59%) de julho de 2017 a março passado. Para o Japão, principal destino do suco brasileiro na Ásia, o crescimento do volume chegou a 82% (37,7 mil toneladas), enquanto o aumento da receita das vendas foi de 115% (US$ 72,4 milhões).

"A safra passada (2016/17), uma das menores da história, produziu uma quantidade muito pequena de suco, o que afetou a oferta. então, a comparação com o período anterior pode apresentar algumas distorções", disse Ibiapaba Netto, diretor-executivo da CitrusBR, em nota.

Por Fernando Lopes | De São Paulo

Fonte : Valor