Exportações do RS crescem 34,8% em maio puxadas pela soja, diz Fiergs

Relatório divulgado nesta quarta-feira (19) mostra comparativo com 2012.
Embarques do estado totalizaram US$ 2,27 bilhões durante o mês.

Do G1 RS

As exportações do Rio Grande do Sul aumentaram 34,8% em maio na comparação com o mesmo mês do ano passado, totalizando US$ 2,27 bilhões. O dado foi divulgado nesta quarta-feira (19) pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs). Segundo a entidade, a China está na primeira colocação entre os destinos dos produtos gaúchos. O grupo relacionado às commodities, em especial a soja, foi o principal responsável por esse desempenho positivo, com elevação de 94,7% (US$ 958 milhões).

O resultado apresentado pela Fiergs contrasta com a média brasileira de produtos levados para fora do país, que teve queda de 6% no mês. Isso fez com que o estado aumentasse sua participação na pauta nacional em 3,2 pontos percentuais, saindo do 6º para o 3º lugar.

Esse número é desempenhado principalmente pelas vendas externas de soja para o país asiático, que elevou suas compras em 92% garantindo o topo do ranking. Os Estados Unidos garantiram a segunda posição ao reforçar seus pedidos em 69%. O terceiro lugar ficou com a Argentina (41%).

Pelo lado da indústria, houve uma expansão de 10,6% nas exportações, atingindo US$ 1,29 bilhão, valor acima da média nacional (-8,5%). Apesar desse avanço, o setor perdeu substancial participação na pauta do estado, passando de 69,3% para 56,8%. "Essa queda na participação da indústria não é um resultado pontual, mas sim uma tendência preocupante que vem se agravando ao longo dos últimos anos. Só haverá uma reversão desse movimento quando uma ampla agenda de reformas for colocada em prática, tornando o processo de exportação menos oneroso e burocrático", afirmou o presidente da Fiergs, Heitor José Müller.

Dos segmentos industriais, os resultados positivos ficaram por conta do grupo Metalurgia (580%), que vendeu produtos semimanufaturados de ferro e aço para os Estados Unidos, enquanto Veículos Automotores, Reboques e Carrocerias (28,3%) tiveram aumento nos pedidos da Argentina. Os Produtos Químicos (20,2%) elevaram suas vendas de éteres acíclicos e seus derivados para Holanda e Espanha; e Tabaco (19,6%) enviou mais itens para os Estados Unidos e Bélgica.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *