Exportações do campo subiram 4,1% e alcançaram US$ 9 bi em março

Puxadas por carne bovina e papel e celulose, as receitas com exportação do agronegócio brasileiro subiram 4,1% em março deste ano em relação ao mesmo mês de 2017, somando US$ 9 bilhões. Os produtos do agronegócio representaram 45,2% de todas as vendas externas do Brasil em março, acima dos 43,5% de igual período do ano passado.

Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic), compilados pelo Ministério da Agricultura, as importações no mês passado caíram 7% para US$ 1,3 bilhão em comparação com o mesmo intervalo de 2017. Com o resultado, o superávit setorial foi US$ 7,8 bilhões, 6,8% a mais que em março de 2017.

Entre os itens mais exportados, o "complexo soja" (inclui grão, farelo e óleo) registrou leve retração de 0,8%, para US$ 4,02 bilhões em março. "A redução na quantidade embarcada do grão (-1,8%), aliada a um preço médio 1% inferior, resultou na redução, em valor, de 2,8%, de modo que as vendas do principal produto da pauta do agro brasileiro passaram de US$ 3,53 bilhões em março de 2017, para US$ 3,44 bilhões em março de 2018", disse o ministério, em nota.

As vendas de óleo de soja também registraram queda de 5,8%, para US$ 84 milhões. Já as vendas de farelo de soja cresceram 16,8%, para US$ 507 milhões.

O segundo item mais exportado em março foram as carnes, que mantiveram o patamar de US$ 1,34 bilhão de março de 2017. As vendas externas de carne bovina subiram 22,1%, para US$ 592 milhões, recorde para meses de março. Mas as exportações de carne de frango caíram 9,7%, para US$ 581 milhões, e as de carne suína recuaram 23,4%, para US$ 114 milhões.

No ranking dos produtos mais exportados em março, destaque para papel e celulose, que ocuparam a terceira posição, com US$ 1,2 bilhão, 42,4% de aumento ante o mesmo mês de 2017.

As vendas de açúcar e etanol recuaram 17,4% em março, em relação a março de 2017, para US$ 636 milhões. Os embarques de café diminuíram 20,6% em março, para US$ 404 milhões.

No primeiro trimestre, os embarques do agronegócio brasileiro também cresceram 4,6% sobre igual intervalo de 2017, para US$ 21,4 bilhões. Já as importações recuaram 4%, para US$ 3,6 bilhões no período. Com isso, o superávit cresceu 6,6%, para US$ 17,8 bilhões. Entre os produtos mais exportados no trimestre, o "complexo soja" cresceu 0,1% para US$ 6,73 bilhões. Já as exportações de carnes caíram 1,4%, para US$ 3,63 bilhões na mesma comparação.

Por Cristiano Zaia | De Brasília

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *