Exportações de soja despencam em setembro

As exportações brasileiras do agronegócio renderam US$ 8,677 bilhões em setembro, conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pelo Ministério da Agricultura. Na comparação com o mesmo mês de 2011, houve queda de 7,5%.

A retração foi provocada sobretudo pelo recuo nos embarques de soja após a forte aceleração das vendas ao exterior no primeiro semestre deste ano. As exportações do grão e derivados (farelo e óleo) somaram US$ 1,766 bilhão em setembro, 20,2% menos que no mesmo mês do ano passado. Mesmo assim, o "complexo soja" continuou a liderar as exportações do setor.

Apesar de também terem recuado em setembro, 6,7%, o complexo sucroalcooleiro permaneceu em segundo lugar no ranking das exportações do agronegócio, com US$ 1,678 bilhão. As carnes seguiram em terceiro, com US$ 1,370 bilhão no mês passado, 3% mais que em setembro de 2011.

Ainda conforme o ministério, as importações do setor atingiram US$ 1,315 bilhão em setembro, 12,8% menos que no mesmo mês do ano passado. Assim, o superávit setorial caiu 6,5%, para US$ 7,362 bilhões.

Com a queda de setembro, as exportações brasileiras do agronegócio tiveram crescimento de apenas 0,5% nos nove primeiros meses deste ano em relação a igual intervalo de 2011. Os embarques somaram US$ 71,246 bilhões de janeiro a setembro. As importações, por sua vez, caíram 6,2% na comparação, para US$ 12,026 bilhões, e o superávit ficou em US$ 59,220 bilhões, 2% maior.

Mesmo com a redução de setembro, as exportações do "complexo soja" fecharam os nove primeiros meses de 2012 em US$ 23,187 bilhões, 15,8% mais que em igual intervalo do ano passado. As carnes vieram em seguida, com US$ 11,412 bilhões, queda de 1,3%, e o complexo sucroalcooleiro (açúcar e etanol) ficou em terceiro no ranking, com US$ 9,558 bilhões, baixa de 18,5%.

Apesar de ter pisado no freio em setembro, a China seguiu como o principal destino das exportações brasileiras do agronegócio no mês e nos primeiros nove meses do ano.

Os embarques para o país somaram US$ 1,206 bilhão no mês passado, 37,7% menos que em setembro de 2011. O tombo pode ser explicado pelo arrefecimento das importações chinesas de soja, muito aceleradas no primeiro semestre deste ano, mas mesmo assim a fatia do gigante no total foi de 13,9%.

No ranking dos principais destinos dos embarques setoriais em setembro, os EUA aparecem em segundo lugar (US$ 639,1 milhões, aumento de 4,7%), seguidos pelos Países Baixos (US$ 498 milhões, queda de 11,5%), Irã (US$ 379,5 milhões, aumento de 57,8%) e Japão (US$ 378,2 milhões, baixa de 16,7%).

Nos primeiros nove meses deste ano, as exportações para a China renderam US$ 15,868 bilhões, 18,9% mais que em igual intervalo de 2011, e representaram 22,3% do montante total. No período, os EUA mantêm o segundo lugar entre os principais destinos das vendas do setor (US$ 4,8 bilhões, aumento de 3,3%), seguidos por Países Baixos, Alemanha e Japão.

© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/empresas/2858674/exportacoes-de-soja-despencam-em-setembro#ixzz28iEhjAiO

Fonte: Valor | Por Fernando Lopes | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *