Exportador de frango projeta crescimento mais modesto em 2014

Rodrigo Paiva/Folhapress / Rodrigo Paiva/Folhapress
Criação de frango no Estado de São Paulo; setor exportador espera recuperação das receitas com as vendas este ano

Depois do resultado mais alentado das vendas externas em outubro, o setor exportador de frango espera cumprir a meta de alcançar um crescimento de 6% na receita com os embarques este ano – em 2012, quando houve queda de 6,7%, o montante somou US$ 7,7 bilhões. O volume embarcado este ano, porém, deverá recuar 1%, afirmou ontem o presidente da União Brasileira de Avicultura (Ubabef), Francisco Turra.

Em outubro, de acordo com a Ubabef, as exportações brasileiras de frango atingiram 355,4 mil toneladas, recorde histórico para o mês e 3,5% mais que no mesmo período de 2012. Mas houve queda de preços dos produtos vendidos, o que levou a um recuo de 5,1% na receita em relação a outubro de 2012, para US$ 681,22 milhões. "Houve um alinhamento [entre oferta e demanda]. A produção ficou estável e não perdemos share na exportação", disse Turra.

Entre janeiro e outubro, os embarques de frango somaram 3,22 milhões de toneladas, redução de 1,4% sobre o mesmo intervalo de 2012. A receita no acumulado do ano cresceu 5,3%, para US$ 6,671 bilhões. O Oriente Médio continua sendo o principal destino das exportações de frango brasileiras, seguido pela Ásia, África e União Europeia.

Para o próximo ano, a expectativa é de estabilidade na produção e crescimento de cerca de 3% nas exportações, segundo o presidente da Ubabef. Ele disse que esse crescimento deve vir com a ampliação no número de plantas habilitadas para vender à China, com o aumento das vendas para a Venezuela graças a mecanismos de garantia de pagamento e com abertura do Paquistão.

A Ubabef divulgou ontem um balanço das exportações do setor avícola em geral, que incluem, além do frango, ovos, perus, patos, marrecos, material genético e ovos férteis. Elas tiveram recuo de 2,1% no período de janeiro a outubro deste ano na comparação com igual período de 2012, e totalizaram 3,374 milhões de toneladas. A receita com os embarques subiu 4,2% na mesma comparação, e somou US$ 7,160 bilhões.

No caso dos ovos (in natura ou industrializado), os embarques somaram 9,829 mil toneladas entre janeiro e outubro deste ano, 54,8% de queda ante mesmo período de 2012. A receita também despencou, conforme os dados da Ubabef. O tombo foi de 48,7% sobre o mesmo intervalo de, para US$ 17,5 milhões.

As exportações de peru continuaram a ser afetadas pela demanda mais fraca na Europa. Entre janeiro e outubro, os embarques somaram 136,1 mil toneladas, queda de 6% sobre o mesmo período de 2012. Em receita, a queda foi de 4,3%, para US$ 388,5 milhões.

Os embarques de outras aves, como patos, gansos e marrecos, cujos volumes são bem mais modestos, também recuaram de forma significativa. Foram 1,168 mil toneladas entre janeiro e outubro deste ano, uma redução de 55,2% em relação ao mesmo período de 2012. Em receita, a queda foi ainda maior – de 59%, para US$ 4,250 milhões.

No segmento de ovos férteis, os embarques caíram 31,8% entre janeiro e outubro deste ano em comparação com o mesmo período de 2012, para 6,011 mil toneladas, segundo a Ubabef. Já a receita diminuiu 33,6%, para US$ 35,5 milhões. As vendas externas de material genético no intervalo somaram 919,4 toneladas, alta de 4,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. A receita somou US$ 43,5 milhões, uma alta de 20,5%.

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3347470/exportador-de-frango-projeta-crescimento-mais-modesto-em-2014#ixzz2lN8P2zii

Fonte: Valor | Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *