Outro dado bastante negativo da economia durante a pandemia é a exportação. No Rio Grande do Sul, os embarques ao exterior acumulam queda de 35% de janeiro a abril, se for considerada uma plataforma de petróleo exportada no mesmo período do ano passado. Retirando a estrutura, a queda fica de 18,1%, que ainda é bastante intensa.

O faturamento das vendas gaúchas ao exterior foi de US$ 4,062 bilhões no acumulado de 2020. O levantamento enviado para a coluna é do economista Oscar Frank, que comanda o departamento de economia da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL Porto Alegre), usando os dados do governo federal.

– A plataforma aumenta a base de comparação e deixa o Rio Grande do Sul com o pior resultado do país. Sem ela, temos a quarta queda mais intensa – comenta Frank.

Os destaques negativos são celulose, fumo, veículos, químicos e calçados, ou seja, vêm da indústria. Por outro lado, a agropecuária segue amenizando o tombo. Crescem os embarques de carne e soja.

Graças às exportações

O comércio exterior tem marcado presença no discurso do ministro da Economia. Paulo Guedes só falta levantar aos mãos aos céus pelas compras da China de produtos brasileiros continuarem robustas.

– Os chineses precisam de alimentar.

Apesar de ainda ser a segunda maior economia do mundo, atrás dos Estados Unidos, a China virou há bastante tempo o principal destino das exportações brasileiras. Inclusive, se considerarmos apenas o Rio Grande do Sul.

Colunista Giane Guerra (giane.guerra@rdgaucha.com.br)
Colaborou Daniel Giussani (daniel.giussani@zerohora.com.br)

Fonte: Zero Hora