Expointer surpreende e ultrapassa R$ 3,2 bilhões

Apesar do mau tempo registrado na primeira metade da Expointer, que alagou áreas do Parque Assis Brasil, principalmente no setor de máquinas, os números finais de comercialização divulgados pelo governo do Estado surpreenderam. No total, as vendas chegaram a R$ 3,29 bilhões, 61,7% acima dos números de 2012, de R$ 2,03 bilhões.
O setor de máquinas, mais uma vez, alavancou as vendas, com R$ 3,27 bilhões, o que representa 62% a mais que no ano passado. A comercialização de animais também registrou crescimento de 16,9% sobre 2012, com R$ 16,03 milhões neste ano contra R$ 13,73 milhões na Expointer anterior. Dentre as raças, o volume de negócios mais significativo foi o de cavalos Crioulos, com vendas de R$ 12,89 milhões. Já a agricultura familiar totalizou R$ 1,5 milhão, incremento de 18,5% em relação ao R$ 1,26 milhão do ano passado.
Para o secretário da Agricultura do Estado, Luiz Fernando Mainardi, os números são reflexo do momento vivido pelo produtor rural gaúcho, que obteve uma safra cheia, considerada a segunda maior da história, conjugada com a valorização dos preços de todas as culturas agrícolas. “Os resultados foram surpreendentes”, declarou.
O presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do Estado (Simers), Claudio Bier, disse que se demonstrou surpreso com os números, mas que eles mostram que a Expointer se tornou a principal feira de vendas do setor no País. “Fiz um prognóstico de R$ 2,5 bilhões. Mesmo com São Pedro nos castigando, chegamos a esses números. Nosso setor vive um momento mágico, onde é muito difícil unir uma grande safra, preços bons das commodities e financiamento a um juro baixo, de 3,5%.”
Questionado sobre o ponto de curva das vendas, já que a chuva afastou compradores e trouxe prejuízos para algumas empresas, Bier afirmou que, a partir do retorno do sol, os produtores retomaram as compras em grande escala. Segundo ele, os números foram fornecidos pelos bancos para se contabilizar o valor da feira.
No entanto, o presidente da Farsul, Carlos Sperotto, contestou os números finais e salientou que ficou impactado com o que acabara de ouvir. “Queremos um detalhamento das categorias que foram compradas na feira e não podemos aceitar se houve um aumento de preços das máquinas. Queremos conferir a lista de compradores para ver o que é efetivo em negócios. Queremos a feira da verdade”, frisa.
O vice-presidente da Fetag-RS, Carlos Joel da Silva, comemorou o aumento da comercialização da agricultura familiar, mas ressaltou que poderia ser maior se houvesse a ampliação do pavilhão.

Bancos comemoram expansão na busca por financiamentos neste ano

As instituições financeiras tiveram registros de alta na busca por financiamentos durante a Expointer. O Banco do Brasil ultrapassou o R$ 1,03 bilhão, com 4,5 mil pedidos. O valor é um acréscimo de 101% em relação a 2012. Conforme o gerente de Agronegócios da Superintendência do Banco do Brasil no Rio Grande do Sul, João Paulo Comerlato, o número de propostas individuais para financiamentos aumentou, o que contribuiu para a elevação. “Também tivemos o incremento de procura por linhas de armazenagem e irrigação, que no ano passado ainda eram iniciantes na feira. O prazo do juro de 3,5% para a compra de máquinas até o final do ano também acelerou a procura”, avalia.
A irrigação também foi um dos destaques na carteira do Banrisul, com 41% do volume de financiamentos. O banco fechou R$ 243 milhões em propostas de crédito na Expointer, alta de 39,5% sobre a feira de 2012. Para o superintendente de Negócios Rurais do Banrisul, Carlos Barbieri, cerca de 90% dos pedidos devem ser concretizados após a feira.

Farsul registra incremento de 18,3% na comercialização de animais durante o evento

O presidente da Comissão de Exposições e Feiras da Farsul, Francisco Schardong, disse que nem a enchente do arroio Esteio, que causou prejuízos para inúmeros expositores, nem as chuvas intensas nos quatro primeiros dias da 36ª Expointer abalaram a comercialização de animais, que neste ano superou em 18,3% os números de 2012. “Vendemos R$ 16,148 milhões, contra R$ 13,649 milhões no ano que passou”, disse. Os valores apurados pela Farsul indicam maior aquecimento em vendas, se comparados aos dados da Secretaria da Agricultura, que apontou aumento de 16,95% num comparativo entre a feira passada e a atual, saltando de R$ 13,735 milhões em 2012 para R$ 16,063 neste ano.
Mesmo com dados favoráveis de comercialização, o presidente da Farsul, Carlos Sperotto, destacou os prejuízos causados pela enchente e disse esperar que pelo menos os expositores com perdas sejam ressarcidos. “Quem sabe conceder espaços gratuitos para esses expositores na Expointer 2014”, sugeriu. Sperotto disse que todo o plano de drenagem do parque é de responsabilidade do governo do Estado e que à Farsul não compete nenhuma responsabilidade sobre o ocorrido. “Respondemos sim pela reestruturação dos pavilhões do gado de leite e corte”, ressaltou Sperottto.

Fonte : Jornal do Comércio | Nestor Tipa Júnior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *