Expointer 2013 começa com previsão de recordes de negócios

Momento especial do setor agropecuário projeta altas expectativas para a 36ª edição da feira

Expointer 2013 começa com previsão de recordes de negócios Diogo Zanatta/Agencia RBS

Aquisição de pivôs para irrigação já tem lista de espera e equipamento deve ser um dos destaques da edição Foto: Diogo Zanatta / Agencia RBS

Com combinação rara e fértil safra abundante, clima favorável, bons preços e crédito farto, o parque Assis Brasil, em Esteio, abrigará a partir deste sábado, dia 24, uma Expointer que promete coroar o ótimo momento vivido pelo agronegócio brasileiro. No Rio Grande do Sul, onde a agropecuária tem o dobro do peso na economia em relação à média nacional, os reflexos do campo são ainda mais evidentes.
Se na Expointer de 2012, quando os produtores ainda contabilizavam perdas com a estiagem, os números foram recordes, não há como conter o otimismo neste ano.
– Esperamos chegar a R$ 2,5 bilhões em vendas – estima, confiante, Claudio Bier, presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers).
Responsável pela maior parte dos negócios, o setor de máquinas e implementos bateu recorde em vendas no primeiro semestre na comparação com mesmo perío- do do ano anterior, e a expectativa para o segundo semestre é ainda superior – puxado pela procura por colheitadeiras, tratores, pulverizadores, plantadeiras e equipamentos para irrigação.
Com licenças ambientais com regras mais flexíveis no Estado no programa Mais Água, Mais Renda para propriedades de até cem hectares, há lista de espera para a compra de pivôs centrais.
– Tudo indica que teremos uma Expointer recorde. O produtor capitalizado quer manter a produtividade, e para isso precisa investir – avalia Luiz Fernando Mainardi, secretário estadual da Agricultura.
Incentivo aos negócios
Se a supersafra e a maior rentabilidade não forem suficientes, o juro anual de 3,5% ao ano do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), postergado até o final de 2013, tende a eliminar qualquer receio em investimentos.
– Essa é a hora de o produtor garantir o juro mais baixo, mesmo que tenha de esperar pela entrega do produto – aponta o presidente do Simers.
Com o juro sedutor, instituições financeiras não economizarão crédito para ofertar aos produtores: serão mais de R$ 2 bilhões. Se vigorar a tendência de o Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul crescer acima da média nacional quando a agropecuária vai bem, 2013 também será marcado pela recuperação do setor – responsável por 10% do PIB estadual e com poder de impulsionar a indústria e os serviços.
– Certamente a economia gaúcha terá crescimento acima da nacional neste ano. Quanto? Deixo abertas as apostas – desafia Sérgio Fischer, economista da Fundação de Economia e Estatística (FEE).

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *