Experiências ganham incentivo e são exemplo para agricultura do Mercosul

Fotos: Rafael Gontijo/MDA

Maria Fernanda Coelho participa da abertura de encontro da Reaf no RN

Cerca de 40 mulheres rurais dos municípios de Assú e Angicos (RN), na região do Vale do Assú, vão receber formação sobre produção agroecológica e direitos humanos. O anúncio foi feito nesta terça-feira (26) pela secretária executiva do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Maria Fernanda Coelho, durante intercâmbio do II Programa de Fortalecimento de Políticas Públicas de Gênero para a Agricultura Familiar, Campesina e Indígena para América Latina e Caribe, promovido pela Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar no Mercosul (Reaf). O valor destinado à execução da ação é de R$ 163,6 mil.

A importância do olhar para as mulheres rurais nas políticas públicas ganhou destaque na fala da secretária que salientou que o MDA é o único ministério com diretoria específica para debater essa pauta. “A nossa pasta trabalha em três eixos específicos: o fundiário, que trata do acesso a terra; o agrícola, que inclui o acesso à assistência técnica; e o eixo da cidadania, que trata da qualidade de vida no meio rural”, afirmou ao lembrar que a questão de gênero deve permear todos esses eixos na construção e execução das políticas públicas. 

Dois temas estratégicos foram realçados pela secretária, durante o evento, a comercialização entre os países do Mercosul e a soberania e segurança alimentar. “Este último é um tema que une o rural e o urbano. Nosso grande desafio, como país continental, é de mostrar a viabilidade de construção de políticas que buscam a relação sustentável com a terra", completou.

O evento, que segue até o fim da semana, visa apresentar experiências do Brasil para promoção e fortalecimento de políticas públicas de apoio à organização produtiva, assistência técnica para mulheres, transição e produção agroecológica e convivência com o semiárido. Ao todo, 16 mulheres do campo da Argentina, Uruguai, Paraguai, Venezuela, Chile e Equador estão em Mossoró, no Rio Grande do Norte, para conhecer de perto essa realidade. Também participam do encontro, representantes da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), de El Salvador e da FAO para América Latina e Caribe.

Intercâmbio

O intercâmbio conta com o apoio da Diretoria de Política para as Mulheres Rurais e Quilombolas (DPMRQ/MDA), que é o ponto focal do Grupo Temático (GT) de Gênero da Reaf no Brasil.

Conforme a diretora de Políticas para as Mulheres Rurais e Quilombolas do MDA, Célia Watanabe, o encontro ajuda a identificar problemas comuns do Mercosul e encontrar soluções. “Serão apresentadas experiências exitosas fruto da auto-organização das mulheres como a convivência com o Semiárido, compras públicas, Ater e reutilização da água. Temos uma forte atuação nesta região do país. Essas experiências têm nos mostrado a importância das políticas públicas no fortalecimento da autonomia das mulheres e na luta contra todas as formas de preconceito", observou.

Para Consuelo Pérez, 29 anos, do distrito de Lara, na Venezuela, o evento fez suas dificuldades parecem menores, ao conhecer exemplos brasileiros. "Sabemos do histórico de vanguarda do Brasil, da participação feminina em todos os âmbitos. As mulheres brasileiras se mantêm em suas atividades profissionais, mesmo depois de terem filhos. Sempre buscam uma forma de permanecer trabalhando. Para nós também é inspirador como as agricultoras estão praticando a agroecologia, em um país tão grande e com regiões que têm pouca água”, disse. 

O delegado do MDA no RN, Francisco Caramuru, anunciou a conferência estadual de Ater apara mulheres, em parceria com o governo do estado. O evento compõe a programação da Conferência de Ater no estado, de 29 a 31 de janeiro. Ele lembrou que, apesar das dificuldades econômicas e climáticas, os acessos ao Pronaf, no Rio Grande do Norte, em 2015, superaram os de 2014. “Foram contratados R$ 124 milhões a mais, segundo informações do banco do nordeste”, informou.

O encontro, organizado pela Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar do Mercosul (Reaf), conta com o apoio do governo federal. Realizado na Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), o evento, que vai até sábado (30), reúne representantes de governo e de organizações da agricultura familiar de sete países do Mercosul.

Formação em agroecologia e direitos humanos

A ação, que beneficiará cerca de 40 agricultoras familiares do Rio Grande do Norte, será executada pelo MDA, em parceria com a Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa).

Serão feitos diagnósticos dos potenciais produtivos locais, para elaboração futura de arranjos produtivos que venham fortalecer a autonomia financeira dessas agricultoras.

Tássia Navarro
Ascom/MDA

Fonte : MDA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *