Excesso de trigo no mercado derruba os preços no Rio Grande do Sul

Safra de trigo é uma das melhores dos últimos anos no Brasil.
Trigo importado também contribui para superlotação dos silos.

Do Globo Rural

O Rio Grande do Sul colheu uma safra recorde de trigo. O problema é que com tanta oferta, o preço caiu e os agricultores têm dificuldade para vender o cereal.

A safra de trigo é uma das melhores dos últimos anos no Brasil. O país produziu quase 5,5 milhões de toneladas do grão, aumento de 25% sobre a safra anterior. No Rio Grande do Sul, maior produtor nacional, o crescimento foi ainda maior: foram 3,2 milhões de toneladas, aumento de 68% na safra.

Segundo um levantamento da Farsul, a Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul, apenas 20% do trigo colhido no estado já foi comercializado. O número é bem abaixo do registrado o ano passado, quando nesta mesma época do ano, quase metade da produção já tinha sido vendida.

O resultado são silos lotados com trigo e, por causa desta grande oferta, menor preço. O agricultor Ademar de Castro está preocupado. O valor da saca caiu mais de 20% desde a colheita até agora. “Quando chegar em fevereiro começam a vencer os contratos nos bancos e vou ter que vender, bem dizer, ‘dar’ o meu trigo", lamenta.

Além da safra alta no Brasil, os moinhos e indústrias estão lotados com trigo importado, principalmente do Canadá e dos Estados Unidos, o que também acaba colaborando para a queda no preço do grão.

"O agricultor está aguardando a melhora dos preços. Antes a tonelada era vendida a R$ 850 e agora está em torno de R$ 630. Caiu muito o valor e o agricultor não está comercializando porque acredita que os preços serão maiores mais adiante", explica o cerealista Vitor Marasca.

Fonte: G1