Estoques globais de cacau tendem a se recuperar

Chris Jackson/Getty Images

Após quatro safras em que a produção mundial de cacau ficou abaixo do consumo, os estoques internacionais da amêndoa devem começar a se recompor nesta safra, ainda que continuem em um patamar historicamente baixo, avaliou Fábio Rezende, analista da consultoria FCStone.

Pelos cálculos da consultoria, a safra internacional 2015/16, terminou em 30 de setembro com os menores estoques de cacau em cerca de 30 anos, com 1,42 milhão de toneladas. Com a perspectiva de aumento da produção nesta nova temporada, a FCStone acredita que os estoques irão para 1,528 milhão de toneladas. "Ainda assim, mesmo depois da colheita, os estoques ainda estarão baixos em relação a média histórica", afirmou Rezende.

Com o fim do El Niño e uma eventual La Niña até o fim do ano, o clima tem sido mais chuvoso nas principais regiões produtoras, como na Indonésia e no oeste da África. " Na Indonésia, alguns fatores devem diminuir a produção no longo prazo, como o envelhecimento das árvores, a migração para a palma. Mas, para este ano, vemos uma leve recuperação", atestou.

Na estimativa da FCStone, a safra do país deve crescer 1,6% neste ciclo, para 310 mil toneladas, permanecendo como o terceiro principal país produtor.

Na Costa do Marfim, maior produtor global, a produção deve avançar 11,1%, para 1,739 milhão de toneladas, enquanto em Gana a colheita deve crescer 9,9%, a 870 mil toneladas, estima a FCStone.

A principal recuperação deve ser observada no Brasil, cujas lavouras na safra passada foram afetadas pela seca em decorrência do El Niño. A projeção da consultoria é de que a produção cresça 50%, para 211 mil toneladas.

Dessa forma, a produção global para esta safra foi projetada em 4,339 milhões de toneladas, o que deve representar um aumento de 10,3%. Já o consumo deve crescer 1,3%, para 4,231 milhões de toneladas. De acordo com esses cálculos, a safra 2016/17 devera ter um superávit de produção de 108 mil toneladas.

Por Camila Souza Ramos | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *