Estoque final privado de café caiu 5,4%, diz Conab

Os estoques de passagem privados de café no Brasil totalizavam 13,589 milhões de sacas de 60 quilos em 31 de março deste ano, 5,4% abaixo das 14,369 milhões de sacas existentes em igual data de 2015, informou a Conab na sexta-feira. Do volume total dos estoques, 12,470 milhões de sacas eram de café arábica e 1,119 milhão da espécie robusta. O levantamento da Conab foi realizado no período de março e maio deste ano, para estimar o estoque de passagem no fim da safra 2014/15.

É a segunda queda consecutiva dos estoques privados. Ainda assim, os volumes estimados ficaram bem acima das expectativas do mercado. Fontes do setor produtivo, indústrias e exportadores têm afirmado que os estoques nacionais são baixos. Tanto os estoques de arábica quanto os de conilon recuaram, conforme a Conab. (ver gráfico)

De acordo com a autarquia, foram pesquisados 669 armazenadores com a emissão de 1.057 boletins. Do total de boletins, 71% responderam à pesquisa sobre os estoques e 29% dos pesquisados não preencheram as informações de estoques.

A pesquisa mostra que a maior parte dos estoques privados estava no Estado de Minas Gerais, principal produtor de café arábica do país. Em 31 de março deste ano, os armazéns do Estado tinham 9,439 milhões de sacas de arábica e 128.834 sacas de conilon. No Espírito Santo, maior produtor de conilon, os estoque privados tinham 427.452 sacas de arábica e 528.236 sacas de conilon.

O levantamento mostrou ainda que os estoques governamentais em 31 de março deste ano somavam 1,489 milhão de sacas, abaixo das 1,653 milhão de sacas registradas na mesma data de 2015.

Para um representante do setor produtivo, o número da Conab "surpreendeu pelo elevado volume". Segundo essa fonte, os dados ficaram acima da expectativa do setor, que trabalha com um intervalo entre 10 milhões e 11 milhões de sacas nos estoques privados.

Essa mesma fonte também apontou uma "falta de melhor detalhamento, haja vista que a distribuição dos estoques no setor privado (cooperativas, exportadores, industriais, etc.) não está bem revelada, como ocorrido nos trabalhos anteriores".

Uma fonte da indústria também disse que o número da Conab surpreendeu. "Pelo que temos ouvido do setor produtivo e de cooperativas, esperávamos um número perto de 6 milhões de sacas". Em sua análise, se o estoque estiver realmente nesse nível, a recente escassez de oferta de café no mercado poderia indicar mais uma estratégia de venda do que falta de produto.

Na sexta-feira, os contratos de café com vencimento em setembro caíram 495 pontos em Nova York, a US$ 1,419 por libra-peso. Não está claro o real efeito do número da Conab sobre Nova York, uma vez que os papéis já estavam em queda em meio a informações de impacto limitado das geadas na produção brasileira.

Fonte: Valor | Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *