Estiagem provocou queda de quase 46% na colheita de soja do RS , diz secretário da Agricultura

Segundo Covatti Filho, perdas ficaram entre R$ 10 bilhões e R$ 15 bilhões. Balanço consolidado será apresentado pela Emater nesta sexta-feira

22/05/2020 – 10h38minAtualizada em 22/05/2020 – 10h39min
BIBIANA DIHL

Os prejuízos causados pela estiagem na agricultura gaúcha, percebidos por produtores rurais, começam a ser identificados na consolidação dos números da colheita. A principal cultura do Estado, a soja, acumula queda de 45,9% na safra de verão.

Os dados foram antecipados pelo secretário da Agricultura do Rio Grande do  Sul, Covatti Filho, em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade. O balanço consolidado por região será apresentado na manhã desta sexta-feira (22), a partir das 10h30min, pela Emater.

Os números do prejuízo já vinham sendo estimados e se consolidaram no balanço feito pelo Estado. A expectativa era de que a produção fosse de 19,7 milhões de toneladas, mas o total está estimado em 10,6 milhões.

— A região que menos perdeu teve queda de 27%. A seca foi generalizada no Estado do Rio Grande do Sul, deixando o produtor rural muito apreensivo. A gente vai perder economicamente, para o produtor e para as nossas exportações — lamentou.

Em valores, a estimativa é de que as perdas fiquem entre R$ 10 bilhões e R$ 15 bilhões.

Covatti Filho lembrou que apenas 2% da área plantada do Estado é irrigada. Com isso, os produtores acabam sendo mais afetados em períodos de falta de chuva:

— A gente vem ao longo de sete anos com quantidade de chuva ideal para a agricultura, tanto que a safra de 2018/2019 foi recorde. O Estado tinha programas de incentivo à irrigação, mas o próprio produtor rural, quando tem água, não pensa na água. Também temos programas de construção de açudes e barragens. Nosso inverno costuma ser  chuvoso, então temos que estimular o produtor a fazer esse investimento para que possa armazenar água do inverno e encarar uma eventual seca no verão.

Fonte: Zero Hora