Estado lança pacote para fortalecer setor lácteo

Medidas do governo são consideradas abrangentes e contemplam sete ações que começam a ser colocadas em prática

Marina Schmidt

ANTONIO PAZ/JC

Representantes da cadeia produtiva acompanharam o anúncio

Representantes da cadeia produtiva acompanharam o anúncio

Com discursos inflamados, que ressaltavam o empenho dos produtores e a qualidade do leite gaúcho, a abertura da Expoleite/Fenasul, em Esteio, na tarde desta quinta-feira, foi palco para o anúncio das iniciativas do governo do Estado para o setor – ações que, segundo o secretário de Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, vão levar o Rio Grande do Sul a “produzir o melhor leite do Brasil”.
O pacote de medidas é abrangente e contempla sete ações: abertura de edital para realização de concurso público para contratação de fiscais agropecuários e técnicos superiores agropecuários que se integrarão ao Departamento de Defesa Agropecuária, adesão estadual e gradativa da Instrução Normativa 62 do Ministério da Agricultura, adesão do Estado ao Sisbi na área de leite e derivados, restrição de portarias que liberam agroindústrias portadoras somente de inspeção municipal (SIM) a comercializar em eventos fora do seu município, além da criação do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite no Rio Grande do Sul (Prodeleite) – que depende de aprovação da Assembleia Legislativa -, do Instituto Gaúcho do Leite (IGL) e do Fundo de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite do Rio Grande do Sul (FundoLeite), que vai concentrar recursos para gerir o IGL.
“A questão do leite começa com a genética e termina lá na frente com o desenvolvimento de um produto final de qualidade”, salientou o secretário, lembrando a importância da adoção de ações para todos os elos do setor. “O conjunto de ações não é antifraude e para o fortalecimento da cadeia. Ao pensar a cadeia como um todo, nós vamos fortalecer toda a atividade. Existe uma cadeia com vários elos, e todos precisam ser atendidos.”
As tratativas voltadas para a atuação dos transportadores estão abarcadas pelo atendimento da IN 62, que reforça o comprometimento das empresas com a qualificação dos transportadores e com o estreitamento dos vínculos com a indústria. Todas as medidas devem ser adotadas com brevidade. O Prodeleite será encaminhado à Assembleia Legislativa até terça-feira. Ainda sem número fechado de vagas, a abertura do edital para concurso público deve ocorrer, também, em breve. Já a IN 62, instituída imediatamente, assegura um prazo de 60 dias para adequação das empresas.
O presidente do Sindilat-RS, Wilson Zanatta, disse que as medidas satisfazem às necessidades do setor, mas sugeriu que a IN 62 seja melhorada pelo Ministério da Agricultura. “A instrução cobra bastante do produtor e da indústria, mas falta ajustar as cobranças para o transportador”, diz.

Meta é dobrar a produção gaúcha

Para atender à demanda da indústria, o Rio Grande do Sul precisa ampliar a sua produção leiteira. Para isso, segundo o secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, a meta do governo é dobrar a quantidade produzida atualmente – de 10 milhões de litros/dia – no prazo de 10 anos.  Para alcançar os 20 milhões de litros/dia, o secretário defende medidas que auxiliem os produtores a terem acesso à tecnologia. Estendendo o alcance do programa estadual de incentivo Mais Leite de Qualidade, Mainardi assinou termos de cooperação técnica com cooperativas, com a Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios (Apil), com fabricantes e também com instituições bancárias.
Pouco tempo depois da fala de Mainardi, o presidente da Farsul, Carlos Sperotto, corrigiu o secretário afirmando que o Estado “já produz o melhor leite do País”. “Produzimos com qualidade”, reforçou Sperotto, que criticou a repercussão da fraude pela imprensa. “Está acontecendo um desastre no Rio Grande do Sul”, disse. O presidente da entidade ressalta que o tema deveria ser tratado “única e exclusivamente na página policial e de saúde humana”. “Não quero minimizar, mas só se fala em possíveis prejuízos”, argumentou. O presidente da Gadolando, Marcos Tang, reforçou a importância de banir os responsáveis pelas adulterações. “Por que eles estão nessa cadeia e não na outra?”, perguntou. “Isso não pode acabar em um termo de ajustamento de conduta (TAC)”, argumentou o dirigente.

Cabanha da Maya conquista Concurso Leiteiro do Holandês

O clima otimista entre os criadores de gado Holandês presentes na Expoleite-Fenasul 2013 refletiu nos resultados do Concurso Leiteiro, encerrado no final da tarde desta quinta-feira. Como é tradição, o anúncio das vencedoras entre as 31 concorrentes foi festejado com o Banho de Leite. Entre as concorrentes, 16 disputaram a categoria jovem e 16 a categoria adulta. Os animais concorrentes pertencem a expositores de 11 municípios gaúchos.
Anba Renske 485, da Cabanha da Maya, Bagé, foi a vencedora na categoria adulta com uma produção de 69.892 quilos. Segundo o veterinário Guilherme Borella, da Maya, o segredo da vitória é uma alimentação de qualidade e bastante conforto para produzir o máximo. Outra debutante nas pistas de Esteio venceu na categoria jovem. Mallmann 100 Branda Blitz, de Paulo Humberto Mallmann, Crissiumal, produziu 56.242 quilos. O volume de vacas inscritas representou um recorde tanto na Expoleite como na Expointer. Foi preciso quatro horas para ordenhar todas as vacas em cada uma das cinco ordenhas.

Fonte: Jornal do Comércio

Compartilhe!