À espera do B7

Ainda que o governo não tenha batido o martelo sobre o aumento do percentual de mistura de biodiesel no diesel, a União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio) acredita que uma definição sobre a questão deverá sair nos próximos meses. O percentual está fixado em 5% e as empresas do segmento esperam que ele seja elevado para pelo menos 7%, mesmo que recentes especulações tenham dado conta que um incremento para 6% pareça mais palatável no momento. Isso, em grande medida em consequência dos temores com a escalada da inflação, já que o biodiesel ainda é mais caro que o diesel, que é subsidiado pelo governo. "Uma elevação de 5% para 7% terá um impacto mínimo sobre a inflação", afirma Julio Minelli, diretor superintendente da Ubrabio. Segundo ele, a antecipação da adoção do percentual de 5% de 2013 para janeiro de 2010 foi um sinal de continuidade do programa brasileiro de biodiesel que precisa ser reforçado agora com mais um aumento. A produção do biocombustível foi de 2,7 bilhões de litros em 2012, e a capacidade instalada é para 7 bilhões. (FL)

Ana Paula Paiva/Valor / Ana Paula Paiva/Valor


© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3120416/espera-do-b7#ixzz2TAz9FGE4

Fonte: Valor |

Compartilhe!