ESPECIAL FENASUL | Só com técnica se produz mais

D dos cerca de 120 mil produtores de leite 80% são de pequenas propriedades, ligados à agricultura familiar o que torna o ensino de técnicas de manejo e acesso à tecnologia ainda mais necessário.
– Quase 50% das propriedades gaúchas produzem menos de cem litros de leite por dia. Isso demonstra que projetos de assistência técnica devem ser ampliados – calcula o assessor de política agrícola da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag), Airton Hochscheid.
É com esse sentido que o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) elaborou um projeto piloto para dar assistência técnica a 10 produtores de leite de Cruz Alta e municípios vizinhos, no Noroeste. Dividido em nove módulos, totalizando 18 meses de atividade, as atividades iniciaram no mês de março, quando um técnico percorreu todas as propriedades rurais e fez um diagnóstico, contendo informações sobre o processo produtivo e a realidade de cada um dos produtores.
Os dados coletados em março serão apresentados em uma nova reunião, para que, em conjunto com os profissionais do Senar, cada propriedade estabeleça o seu plano de ações.
Gilmar dos Reis, 44 anos, produtor de leite de Cruz Alta, integra o projeto. Há 22 anos, quando iniciou na atividade, fazia tudo manualmente. Agora, tem ordenha centralizada e o seu rebanho é de 60 vacas, das quais 48 em lactação. A produtividade média é de 1,2 mil litros de leite por dia.
– Quando comecei, tinha pouca assistência técnica. Melhorou, mas ainda é uma dificuldade. Participando do programa, tenho a expectativa de aumentar a produção, profissionalizar o trabalho e, depois, ganhar mais com a venda do leite – projeta Reis.
fernando.goettems@zerohora.com.br

FERNANDO GOETTEMS

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!