Escassez de trabalhadores atrapalha o agronegócio

Fonte: DCI

São Paulo – A falta de mão de obra especializada, bastante presente nos grandes centros urbanos, já atinge as regiões agrícolas. Não se encontram profissionais para operar osmodernos tratores e colheitadeiras, entre outros equipamentos. Agora os produtores rurais do País buscam avidamente parcerias com governos e entidades para qualificar profissionais.
A escassez de mão de obra no campo está ser refletindo fortemente na elevação dos investimentos em tecnologia na produção agrícola no Estado do Espírito Santo. Levantamento feito pelo Centro de Desenvolvimento do Agronegócio (Cedagro) mostra que, entre janeiro de 2009 e janeiro de 2011, os gastos com mão de obra e operações mecanizadas apresentaram aumento de 30%.
Com a expectativa de encerrar o ano com um crescimento de até 20%, grandes fabricantes de maquinário agrícola, como a Agco, já se movimentam para qualificar esses profissionais.
Segundo Alexandre Landgraf, gerente da empresa, a agricultura no Brasil evoluiu tanto que, ao invés de "peões", o campo esconde atualmente grandes empresários. "Hoje o Brasil está com uma agricultura muito mais empresarial, com altos investimentos, e para isso é extremamente necessário o uso de novos equipamentos e tecnologias. Apostamos em maquinário cada vez mais eficiente, com computador de bordo, tratores modernos, colheitadeiras maiores", diz Landgraf.
Roberto Patrocínio, gerente nacional de Vendas da Valtra, ressaltou que a empresa também passou a oferecer treinamento de qualificação a clientes que adquirem novos produtos oferecidos pela companhia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *