Ervais do Estado passam por testes de qualidade

Parceria entre Emater e Sepadr vai permitir que se conheça o grau de nutrição da erva-mate cultivada nos cinco polos produtores gaúchos

08/06/2020 | 16:42

Por Carolina Pastl (sob orientação de Elder Ogliari)

O Rio Grande do Sul é o estado que mais produz erva-mate, com 48% da produção total da folha no Brasil

O Rio Grande do Sul é o estado que mais produz erva-mate, com 48% da produção total da folha no Brasil | Foto: ROGERIO FERNANDES/CP MEMÓRIA

Um diagnóstico a ser realizado pelo Programa Gaúcho para a Qualidade e a Valorização da Erva-Mate, parceria entre Emater/RS-Ascar e Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), vai analisar a qualidade nutricional da erva-mate produzida nos cinco polos ervateiros do Rio Grande do Sul: Planalto Missões, Alto Uruguai, Nordeste Gaúcho, Alto Taquari e Polo dos Vales. O objetivo do estudo é verificar a relação das condições de nutrição da planta com a produtividade, o manejo e a fertilidade do solo, exp?ica o engenheiro agrônomo da Emater, Ilvandro Barreto de Melo.

“Em resumo, vamos saber como os gaúchos estão alimentando a árvore que é símbolo do nosso Estado. Ao final, isso deve melhorar a qualidade do produto e gerar mais renda ao produtor”, diz. Até o final do primeiro semestre desse ano, serão examinadas 100 amostras de solo e 100 de folhas em 20 propriedades rurais de cada polo ervateiro, que, no total, representam cerca de 200 municípios.

Enquanto a Emater identifica as propriedades e coleta as amostras, a Seapdr faz as análises laboratoriais das plantas. De acordo com Melo, a nutrição das árvores é uma prática com elevado grau de controle pois está relacionada à sanidade, à produtividade, à perenidade, à qualidade do produto e à viabilidade econômica do empreendimento.

No ano que vem, a ideia é repetir a mesma ação em outros municípios. Com isso, o Estado espera traçar estratégias para corrigir e adequar a condução da cultura, entre elas com a capacitação dos produtores e o monitoramento das propriedades.

Fonte: Correio do Povo

Compartilhe!