Entrega do sistema BRT fica sem data definida por falta de areia

Fortunati afirma que Copa é usada para pressionar e chantagear

Fortunati afirma que Copa é usada para pressionar e chantagear
JONATHAN HECKLER/JC

A falta de areia na Região Metropolitana de Porto Alegre, provocada pela interrupção da extração do insumo no rio Jacuí, vai motivar uma revisão no prazo de entrega do sistema de Bus Rapid Transit (BRT) da Capital. Antes com previsão de inauguração em abril de 2014, os corredores das avenidas Bento Gonçalves, João Pessoa, Padre Cacique e Protásio Alves agora esperam o desfecho do impasse para ganhar um novo cronograma. As obras são as únicas da Matriz de Responsabilidades do município para a Copa do Mundo de 2014 que estão paralisadas no momento.
“Tínhamos como prazo abril de 2014. Agora, com a falta de areia, não sabemos. E o problema pode demorar semanas para ser resolvido. Teremos que readequar o cronograma a partir do momento em que as obras voltarem a ser executadas”, afirma o prefeito José Fortunati. Mesmo assim, ele diz que a administração municipal está tranquila e espera um final feliz em breve. Na sexta-feira, o governo do Estado vai apresentar um documento ao Judiciário para liberar o uso do Jacuí, de onde sai a maior parte da areia utilizada na Capital e arredores.
O chefe do Executivo porto-alegrense constata que, apesar da falta generalizada do insumo, somente os projetos voltados ao Mundial sofreram as consequências. “Utiliza-se o cronograma da Copa para se pressionar e fazer chantagens”, lamenta. Desta forma, o discurso proferido nos últimos anos de que todas as obras ficariam prontas a tempo do torneio já não tem a mesma intensidade. “Estou confiante de que as principais obras estarão concluídas. As coisas estão andando bem, mas também não posso garantir que não vão aparecer outras surpresas (como a falta de areia, manifestações populares e ações judiciais) que impeçam que elas fiquem prontas.”
Ontem, quando faltava exatamente um ano para o início da competição, Fortunati trocou a caneta e os despachos no gabinete pelo microfone do ônibus Linha Turismo. Durante mais de duas horas, o prefeito guiou um passeio por algumas das modificações urbanas em curso na Capital. O trajeto foi iniciado no largo Glênio Peres, onde ocorrerá a Fan Fest durante a competição, e se encerrou no Centro Integrado de Comando (Ceic) da EPTC, estrutura responsável pelo monitoramento do transporte coletivo nos corredores BRTs.
No roteiro houve até uma espécie de inauguração antecipada da nova ponte do arroio Dilúvio, que fará a conexão com a duplicada avenida Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio). O ônibus percorreu um pequeno trecho da via, que está recebendo os últimos retoques e será finalizada em julho, tornando-se o primeiro veículo a utilizar o espaço.
A passagem pela duplicação da avenida Tronco foi dos pontos emblemáticos da visitação. Com um investimento total de R$ 156 milhões, a revitalização é considerada uma das mais complexas pela prefeitura.
De acordo com o prefeito Fortunati, a Tronco é um dos três projetos com os quais há certa preocupação em relação aos prazos. Isso porque somente depois de duas licitações se achou uma empresa apta a construir mil moradias para abrigar parte dos habitantes que serão realocados em 25 terrenos na região. “Estamos na fase de aprovação de projetos. Acreditamos que essa etapa levará mais alguns meses e depois as obras das moradias podem se iniciar”, destaca Urbano Schmitt, secretário de Gestão.
Além disso, a prefeitura reconhece dificuldades nos prolongamentos das avenidas Severo Dullius e Voluntários da Pátria. Na primeira, a quantidade de lixo encontrada no solo motivou adaptações no projeto, que será retomado nos próximos dias de junho.

Fonte: Jornal do Comércio | Fernando Soares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *