EMPRESAS E NEGÓCIOS – Valagro projeta maior participação nos grãos com investimento em bioestimulantes

Empresa italiana espera que insumos para as grandes culturas representem 60% de sua produção até 2022

gianluca-di-tommaso-valagro (Foto: Divulgação/Valagro)

O diretor global de cultivos da Valagro, Gianluca Di Tommaso, durante apresentação em Campinas (SP) (Foto: Divulgação/Valagro)

Com cerca de 80% do portfólio de nutrientes para plantas voltados para a linha de hortifruticultura, a italiana Valagro espera aumentar a participação no segmento de grandes culturas no Brasil. A estratégia é que, até 2022, produtos direcionados para culturas como soja, milho e cereais de um modo geral representem 60% da produção.

Como parte do desafio de crescimento, a Valagro realizou na semana passada, em Campinas (SP), um congresso para discutir o papel dos bioestimulantes (reguladores utilizados no desenvolvimento das plantas) nas grandes culturas.

O diretor global de cultivos da Valagro, Gianluca Di Tommaso, destacou a importância da aplicação correta e sustentável dos biofertilizantes e falou da estratégia para os produtos no Brasil.

“Temos uma equipe de pesquisa no campo, que pega o produto que chega da Itália e começa testar em condições brasileiras. Para nós é muito importante entender o mecanismo dos produtos, entender como os compostos que ficam na composição trabalham na fisiologia da planta. Isso nos permite dar informações bem claras sobre quando aplicar e quando não aplicar o produto”, explica Gianluca.

O Brasil é parte importante no crescimento da companhia ao lado de países como Estados Unidos, Índia e China. “São quatro países onde temos um grande investimento e onde queremos crescer na faixa de 35% ao ano, além de ampliar nossa participação em cereais e grandes culturas”, diz o diretor da Valagro no Brasil e no cone Sul, Víctor Sonzogno.
A empresa tem filiais em 13 países e exporta para 80 países, sendo líder mundial na produção de biofertilizantes, produtos que se enquadram na categoria de nutrição especial. “Atuamos na área de bioestimulantes, micronutrientes, fertilizantes hidrosolúveis”, diz o executivo.

Victor explica que a Valagro tem um portfólio completo para grãos construído a partir do conhecimento da empresa no setor de hortifruticultura. “São produtos que tiveram testes e resultados com institutos de pesquisa independentes no Brasil e agora estão em estágios comerciais”, afirma.
A reorientação para os grãos vai aumentar a presença da empresa nos principais Estados produtores como Paraná, Mato Grosso e Rio Grande do Sul. Victor diz que a Valagro dará uma atenção especial para a região do Matopiba, fronteira agrícola que compreende partes dos Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

Para suportar a estratégia, a Valagro conta com uma fábrica instalada há um ano em Pirassununga (SP) com capacidade de produção de 50 mil toneladas de produtos como bioestimulantes líquidos ou nutrição especial e hidrossolúveis. A unidade atende os mercados brasileiro e da América Latina. “A fábrica não deixa de ser uma sinalização de investimento e compromisso no Brasil, é um investimento de 10 milhões de euros”, diz Victor.

* O jornalista viajou a convite da Valagro.

POR VINICIUS GALERA*, DE CAMPINAS (SP)

Fonte : Globo Rural