EMPRESAS E NEGÓCIOS – Parceria no RS garantirá alimentos biofortificados na merenda escolar

Iniciativa inclui desde troca de experiências e dicas de manuseio e cultivo até investimento para recuperar estufa em horta

Uma parceria entre a agtech ConnectFarm, a Escola Técnica Nossa Senhora da Conceição, de Cachoeira do Sul (RS), a cooperativa Escola dos Jovens do Técnico em Agropecuária e o projeto Mesa Brasil, do Sesc de Cachoeira do Sul (RS), vai levar alimentos saudáveis com até três vezes mais nutrientes, chamados "biofortificados", à merenda escolar.

Os alimentos serão destinados às organizações da Sociedade Civil (OSCs) que atuam no combate à fome e também para a cooperativa envolvida na parceria.

Parceria entre entidades vai oferecer merendas com alimentos com até três vezes mais nutrientes (Foto: Divulgação/ConnectFarm)

Parceria entre entidades vai oferecer merendas com alimentos com até três vezes mais nutrientes (Foto: Divulgação/ConnectFarm)

Em 15 de julho, foram realizadas as primeiras palestras na instituição, que tem cerca de 150 alunos. Além de aportes financeiros para a recuperação da estufa existente na horta, a ConnectFarm destinará R$ 1 mil mensais para a manutenção e realização do projeto.

O termo de cooperação tem vigência de cinco anos. Os profissionais da empresa darão dicas de manuseio e cultivo, compartilhando conhecimentos para o aumento de produtividade e um manejo mais sustentável do solo, além de formas de estruturação de startups.

“A parceria com a ConnectFarm é uma forma de ampliarmos o diálogo com a comunidade, aprimorar e qualificar ainda mais nosso trabalho educativo na área da olericultura, inserindo novas tecnologias e conhecimentos, e também viabilizar a solidariedade”, afirma a diretora da escola, Fátima Lamb.

Nutricionista do projeto Mesa Brasil em Cachoeira do Sul, Débora Martins destaca o impacto positivo da parceria. “A demanda aumentou muito e ofertar produtos que garantam alimentação e nutrição adequadas é nossa missão”, ressalta.

Para a produção dos alimentos biofortificados, a ação conta com o apoio da Rede Biofort, que fornece mudas e sementes específicas. A pauta é liderada pela Embrapa, que quer ajudar a vencer a chamada “fome oculta” no país com a oferta de cultivares mais nutritivos, de alimentos básicos como mandioca, feijão, milho, arroz, batata doce, abóbora e trigo. O objetivo é aumentar os teores de ferro, zinco e vitamina A na dieta da população.

“Para a Rede Biofort, que trabalha há mais de 15 anos com a biofortificação de alimentos visando à segurança alimentar e nutricional de comunidades em situação de vulnerabilidade social, é fundamental contar com uma parceria capaz de potencializar a promoção da produção e do consumo desses alimentos”, diz o coordenador Apes Roberto Falcão Perera.

REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : GLOBO RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *