EMPRESAS E NEGÓCIOS – Empresas americanas confirmam boicote a couro do Brasil e suspendem compras

Dona das marcas Vans, The North Face, Timberland e Dickies respondeu questionamentos enviados pela reportagem da Globo Rural

Curtumes do Brasil chegaram a informar que 18 empresas teriam suspendido as importações.

A VF Corporation, holding dona das marcas Vans, The North Face, Timberland e Dickies, confirmou à reportagem da Globo Rural que suspendeu a aquisição de couro brasileiro até que seja garantido o respeito às práticas ambientais de produção.

Em mensagem enviada por e-mail, a matriz da empresa, com sede nos Estados Unidos,  disse que não consegue “assegurar satisfatoriamente” que os volumes de couro comprados de produtores brasileiros sigam o compromisso com os requisitos de abastecimento responsável exigidos pelas marcas.

“(…) Sendo assim, a VF Corporation e suas marcas decidiram não seguir abastecendo diretamente com o couro e curtume do Brasil para nossos negócios internacionais até que haja a segurança que os materiais usados em nossos produtos não contribuam para o dano ambiental no país,” diz um trecho da mensagem.

Equívoco?

Na noite da última terça-feira (27/8), em carta direcionada ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, o presidente do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), José Fernando Bello, mencionou “a suspensão de compras de couros a partir do Brasil de alguns dos principais importadores mundiais”. A suspensão teria sido motivada devido à repercussão internacional das queimadas na Amazônia e da possível associação dos incêndios com a pecuária na região.

"Quando esclarecemos o fato com o cliente internacional, obtivemos a informação de que não haverá cancelamentos""

José Fernando Bello, presidente do CICB

Na quarta-feira (28/8), Bello disse ao Broadcast Agro (Grupo Estadão) que se tratava de um “erro de pré-avaliação” da entidade. "A carta foi divulgada (pelo próprio CICB) antes da checagem com a empresa importadora", disse Bello. "Esse importador estaria supostamente suspendendo as compras. Foi um equívoco nosso. Vamos corrigir a informação junto ao governo federal", disse entidade.

ALANA FRAGA

Fonte : Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *