EMPRESAS DESCUMPRIRAM POR MAIS DE UM ANO SUAS OBRIGAÇÕES PERIÓDICAS

Fonte: Monitor Mercantil

CVM suspende 8 companhias abertas

Relação de 28 companhias que estão em mora de, pelo menos, três meses

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) suspendeu, nesta segunda-feira (4), o registro de oito companhias abertas e divulgou também uma relação de 28 deste tipo de companhias que estão em mora de, pelo menos, três meses no cumprimento de qualquer de suas obrigações periódicas.

São elas: Botucatu Têxtil; a imobiliária Cimob Participações; a fabricante de brinquedos Estrela; a Sanesalto Saneamento; a Ferragens Demellot; a Global Brasil; a securitizadora Focus, do Rio de Janeiro; e a Predileto Alimentos, do Rio Grande do Sul.

De acordo com a entidade reguladora, essas companhias abertas tiveram seu registro suspenso porque "descumpriram por mais de um ano suas obrigações periódicas nos termos previstos na Instrução n.º480, editada no final de 2009".

"Enquanto seus registros estiverem suspensos, as companhias abertas não podem ter os valores mobiliários por elas emitidos admitidos a negociação em mercados regulamentados, quais sejam, balcão organizado, bolsa ou balcão não organizado", afirma a CVM. Além disso, a suspensão não exime a companhia, seus controladores e administradores de responsabilidade decorrente das eventuais infrações cometidas até o cancelamento do registro.

Documentos

A CVM também divulgou uma lista com 28 empresas que não apresentaram documentos com vencimento de entrega anterior a 4 de abril até esta segunda-feira, com o objetivo, de acordo com o próprio comunicado da entidade, "alertar aos investidores e ao público em geral que considerem essa informação nas suas relações com as citadas companhias abertas, ou nas suas decisões de investimento".

São elas: 3A Companhia Securitizadora (que, apesar de ter encaminhado o documento de demonstração financeira de 2009, ainda tem pendente o formulário de demonstração financeira padronizado do mesmo ano); AGV Holding; Allis Participações; Biomm; BV Leasing – Arrendamento Mercantil; Centennial Asset Part. Minas-Rio; Companhia Estadual de Águas e Esgoto (Cedae); Companhia de Água e Esgoto do Ceará; Companhia Energética de Brasília (CEB); Companhia Paulista de Securitização; Eletrosom; Energipar Captação; Feniciapar; Hotéis e Turismo Guanabara (atualmente paralisada, precisa encaminhar a DF/2009); IGB Eletrônica (em recuperação extrajudicial); Infrasec Securitizadora; Lark Máquinas e Equipamentos; Lojas Arapuã (em recuperação judicial); Marambaia Energia Renovável; Minupar Participações; Moura Dubeux Engenharia; Multiner; Pothencia Reflorestadora; Santander Brasil Arrendamento Mercantil; Taipe Trancoso Empreendimentos; Têxtil Renauxview; Wembley; e Wiest.

Feniciapar e Arapuã

A Feniciapar, que encontra-se paralisada, precisa ainda entregar o formulário de 2010, apesar de já ter entregue o de 2011, mesma situação da Energipar Captação e da Têxtil Renauxview.

A Lojas Arapuã está listada somente pelo não envio do Formulário de Referência 2010, uma vez que teve seu pedido de recuperação judicial deferido após a data de vencimento de entrega do citado documento.

Santander

A Santander Brasil Arrendamento Mercantil teve sua incorporação pela Santander Leasing Arrendamento Mercantil aprovada nas respectivas assembléias de 30 de novembro de 2009, restando a operação pendente de homologação pelo Banco Central.

A entidade ressalta que, quando as demonstrações forem encaminhadas, "promoverá ao cancelamento do registro de emissor da incorporada com data retroativa à da ocorrência das citadas assembléias".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *