Empresas de frango processadas nos EUA

Daniel Acker/Bloomberg

Segundo a Tyson Foods, acusação de manipulação de preços é "infundada"

Um grupo de empresas que inclui Kraft Heinz, Conagra e Nestlé entraram com uma ação no tribunal federal de Chicago, nos EUA, alegando que Tyson Foods e Pilgrim’s Pride (controlada pela brasileira JBS), entre outras processadores de aves, trabalharam juntas para inflacionar os preços do frango no país.

Os documentos judiciais sustentam que as empresas acusadas se uniram para manipular preços de 2008 a 2016. Dizem que os fornecedores de frango, de maneira coordenada, sacrificaram aves a fim de reduzir a oferta e valorizar o produto.

De acordo com os documentos, "executivos seniores de oito dos dez réus do Georgia Dock [denominação das empresas que ficam numa mesma região] eram membros de um secreto ‘Conselho Consultivo da Georgia Dock’, que desempenhou um papel na compilação e manipulação do preço de referência".

Além da Pilgrim’s e da Tyson, estão entre os réus Fieldale Farms, Perdue, Sanderson Farms, Koch Foods, Claxton Poultry, Harrison Aves, Mar-Jac e Wayne Farms.

De acordo com comunicado da Tyson, o novo processo está simplesmente tentando se aproveitar de reclamações feitas em outros casos. "Essas reclamações não mudam nossa posição de que as alegações são infundadas". Procurada pelo Valor, a JBS preferiu não comentar. (Com Dow Jones Newswires)

Por Marina Salles e Fernanda Pressinott | De São Paulo

Fonte : Valor

Compartilhe!