Empresa pode fazer outras aquisições "na hora certa"

Última aquisição feita pela JBS, a americana Plumrose, especializada em alimentos processados à base de carne suína, tem tudo para protagonizar a volta da companhia brasileira às compras no exterior – possivelmente, em 2020.

Em entrevista concedida na última segunda-feira em Greeley, no Colorado, o presidente da JBS USA, André Nogueira, afirmou que o foco de crescimento da empresa nos próximos anos é o mercado de alimentos processados com marca. A Seara, no Brasil, e a Primo Smalgoods, na Austrália, são os exemplos de atuação. Ambas têm participação relevante no mercado de alimentos processados à base de carnes. A Primo, por exemplo, detém cerca de 50% do mercado de bacon da Austrália e da Nova Zelândia.

"Nos Estados Unidos, estamos um pouco atrás nessa parte de preparados até porque é um mercado bem mais competitivo. Mas a direção é a mesma", afirmou Nogueira. A Plumrose, que atua nesse segmento, é "pequenininha", com vendas anuais de US$ 500 milhões. A companhia foi comprada da Danish Crown pela JBS em maio do ano passado, por US$ 230 milhões. As fábricas da Plumrose estão localizadas em Council Bluffs (Iowa), Cooneville (Mississippi), Swanton (Vermont) e Elkhart (Indiana).

O tamanho da ambição da JBS no segmento de processados veio com a contratação, no início deste ano, de Tom Lopez para a presidência da Plumrose. O executivo estava na Kraft-Heinz, onde comandava as divisões de bebidas e de snacks, com vendas da ordem de US$ 5 bilhões, segundo Nogueira. "Ele está muito acima do tamanho do nosso negócio hoje, mas foi contratado para crescer", disse.

Indagado pelo Valor, Nogueira disse que a estratégia de crescimento da Plumrose inclui aquisições. "Será com crescimento orgânico e aquisição no momento certo", afirmou, ressaltando que 2018 ainda não é o ano da aquisição. De fato, o foco da JBS desde que a delação premiada dos irmãos Batista veio à tona, em maio de 2017, é diminuir o índice de alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda).

Na semana passada, o executivo-chefe de operações da JBS, Gilberto Tomazoni, reafirmou a analistas o compromisso assumido de continuar reduzindo a alavancagem, que caiu de 4,16 vezes em junho do ano passado para 3,46 vezes. Para 2019, a meta da JBS é reduzir o índice de alavancagem para "ao redor" de 2 vezes, conforme ressaltou Tomazoni.

Por Luiz Henrique Mendes | De Greeley e Council Bluffs

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *