Embrapa perde terreno na pesquisa agrícola

Principal responsável pela modernização da agricultura brasileira e pela transformação do Cerrado em uma das maiores fronteiras agrícolas do planeta, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) corre o risco de se tornar irrelevante na criação de tecnologias para a produção das principais commodities exportadas pelo Brasil, hoje dominada por companhias estrangeiras.

A Embrapa enfrenta desafios para competir no mercado. Sem recursos suficientes para grandes projetos, dificuldades para estabelecer parcerias e resistências à entrada do capital privado, a estatal vê sua participação despencar em alguns dos segmentos mais dinâmicos do agronegócio, como soja, milho e algodão.

A predominância das multinacionais nesses segmentos se explica pelo lançamento dos transgênicos, que mudaram o paradigma da pesquisa biotecnológica e também seu patamar de custos. Segundo a organização americana ISAAA, a descoberta, desenvolvimento e autorização de um único transgênico custa, em média, US$ 135 milhões (R$ 230 milhões). Faltam recursos para que a Embrapa possa enfrentar as grandes empresas do setor.

ASSUNTOSRELACIONADOS
Embrapa vive dilema por competitividade

Fonte: Valor | Por Gerson Freitas Jr. e Tarso Veloso | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *