Embrapa não explica fim do braço internacional da estatal

BRASÍLIA  – O novo presidente da Embrapa, Mauricio Antônio Lopes, não apresentou as razões para a extinção do braço internacional da estatal, decidida pelo ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, no início do mês. “Houve um equívoco ou uma avaliação um pouco incorreta sobre o modelo mais adequado para operar no exterior”, disse, em sua primeira entrevista no cargo.

As razões da extinção, segundo ele, serão apontadas “futuramente, após a sindicância que está em processo”.

A decisão, porém, “não foi um retrocesso”, na visão de Lopes, e nem atingiu a imagem da estatal no exterior. “A orientação do ministro Mendes Ribeiro é intensificar e aumentar a presença da Embrapa no exterior”, disse. “O que está extinto é o modelo Embrapa Internacional”.

A mudança, segundo ele, levará a coordenação da atuação internacional a ser feita a partir do Brasil. “Estamos em plena atuação no exterior. Os programas de cooperação seguem iguais”, disse.

Lopes citou as parcerias com instituições no exterior como instrumentos essenciais para “ter acesso a tecnologia e conhecimento”, os chamados laboratórios no exterior (Labex). Atualmente, a Embrapa tem convênios de intercâmbio de pesquisadores com Estados Unidos, França, Alemanha, Países Baixos, Reino Unido e Coreia. Na Ásia, a Embrapa iniciará a operação com China e Japão ainda neste ano.

O novo presidente disse, porém, que não há planos imediatos para a expansão do Labex. “Alcançamos a última fronteira do Labex”, completou, em referência ao continente asiático.

Lopes também citou como exemplo da atuação internacional da empresa os projetos de cooperação técnica com países da América Latina e África, nos quais técnicos da Embrapa levam tecnologias desenvolvidas pela empresa. “Vamos procurar sempre novos mecanismos que nos ajude a aumentar a eficiência da nossa atuação no exterior”.

© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/empresas/2864736/embrapa-nao-explica-fim-do-braco-internacional-da-estatal#ixzz29N4xGZZJ

Fonte: Valor | Por Lucas Marchesini | Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *