Embrapa indica cultivares de soja convencional para a próxima safra em Mato Grosso

Fonte:  Globo Rural

Entidade sugere 12 variedades do grão não transgênico, que tem interessado compradores europeus e asiáticos

por Globo Rural On-line

Ernesto de Souza

O estado de Mato Grosso tem se destacado como o maior produtor nacional de soja. Na safra 2011/2012 deverá colher 21,04 milhões de toneladas, com área de plantio de 6,63 milhões de hectares e produtividade média de 3.174 quilos por hectare, conforme estimativa do Instituto Mato-Grossense de Economia Agrícola (Imea).
Contudo, esse recorde não ocorrerá somente em Mato Grosso, já que a estimativa é de novos incrementos da área plantada do grão no Brasil como um todo. A intenção de plantio é de aproximadamente 25 milhões de hectares, o que representa aumento de 3,6%, em relação ao observado no ciclo 2010/2011.
Mato Grosso também se destaca como o principal fornecedor mundial de soja não geneticamente modificada. Há um grande mercado interessado especificamente nesta oleaginosa convencional, sobretudo nos continentes europeu e asiático, cujos consumidores estão dispostos a pagar prêmios aos produtores pelo grão. Por isso, atualmente os sojicultores mato-grossenses intensificam a busca por sementes de soja convencional disponíveis para produção no estado.
Tendo isso em vista, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) celebrou um acordo de cooperação com a Associação Brasileira dos Produtos de Grãos Não Geneticamente Modificados (Abrange), no âmbito do Programa Soja Livre, com o objetivo de oferecer cultivares de soja não geneticamente modificadas para Mato Grosso.
Atualmente, a entidade indica 12 variedades. Confira a relação abaixo.
BRSMG 752S – tem grupo de maturidade 7.5, tipo de crescimento indeterminado, alta produtividade e é resistente a pústula bacteriana, mancha "olho-de-rã", cancro da haste e medianamente resistente ao nematóide de galhas Meloidogyne javanica.
BRSMG 68 [Vencedora] – apresenta grupo de maturidade 8.0, tipo de crescimento determinado e alta produtividade, sendo resistente a pústula bacteriana, mancha "olho-de-rã", cancro da haste, oídio e ao nematóide de galhas Meloidogyne incognita.
BRS Flora – apresenta grupo de maturidade 7.9, alto potencial produtivo para seu ciclo, tipo de crescimento determinado, resistente a pústula bacteriana, crestamento bacteriano, mancha "olho de rã" e cancro da haste.
BRSMG 810C – grupo de maturidade 8.1, resistente a pústula bacteriana, restamento bacteriano, mancha "olho-de-rã", cancro da haste, nematóide de cisto (raças 1 e 3) e moderadamente resistente a oídio e nematóide de galhas Meloidogyne javanica.
BRSGO 8360 – grupo de maturidade 8.3, tipo de crescimento determinado, alto potencial produtivo, resistência a crestamento bacteriano, mancha "olho-de-rã", e cacro da haste, além de possuir resistência a Meloidogyne javanica.
BRS Jiripoca – grupo de maturidade 8.4, com resistência a pústula bacteriana, crestamento bacteriano, mancha "olho-de-rã", cancro da haste, vírus do mosaico comum da soja e com resistência ao nematóide do cisto da soja (raças 1, 3, 5, 6, 9 e 14), destacando-se pela sua alta tolerância a chuvas na colheita.
BRSGO Luziânia – grupo de maturidade 8.5, com alto potencial produtivo, e há muitos anos no mercado devido à sua ampla adaptação ambiental e ótima arquitetura de planta, estabilidade de produção, e resistência aos nematóides formadores de galhas (Meloidogyne incognita e M. javanica).
BRSGO 8660 – grupo de maturidade 8.6, com resistência ao nematóide do cisto (raça 3) e excelente potencial produtivo.
BRSGO Chapadões – grupo de maturidade 8.6, com resistência às raças 1, 2, 3, 4, 5, 6, 9 e 14 do nematóide do cisto, moderadamente resistente a nematóide de galhas Meloidogyne incognita, com resultados preliminares que indicam bom desempenho também em áreas com presença de Pratylenchus brachiurus.
BRS Gralha – grupo de maturidade 8.8, resistente a pústula bacteriana, mancha "olho-de-rã", cancro da haste e vírus do mosaico comum da soja, com excelente potencial produtivo e estabilidade de produção.
BRS 252 [Serena] – grupo de maturidade 8.8, resistente a pústula bacteriana, mancha "olho-de-rã", cancro da haste e vírus do mosaico comum da soja, com excelente potencial produtivo, estabilidade e adaptabilidade, podendo ser plantada nas regiões do norte de Mato Grosso.
BRS Raimunda – grupo de maturidade 9.0, resistente a pústula bacteriana, mancha "olho-de-rã", cancro da haste e oídio. Possui também resistência aos nematóides formadores de galhas Meloidogyne javanica e Meloidogyne incognita (MR). Excelente material para abertura de áreas com estabilidade e adaptabilidade a todas as regiões do estado de Mato Grosso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *