Embrapa desenvolve cultivar de alface do tipo crespa tolerante ao calor

Para driblar a elevação das temperaturas em regiões produtoras de hortaliças, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) desenvolveu uma cultivar de alface do tipo crespa tolerante ao calor.

A semente, batizada como BRS Mediterrânea, é resultado das pesquisas de desenvolvimento de cultivares mais adaptadas às mudanças climáticas. O principal diferencial da nova cultivar em relação a outros materiais comerciais é a tolerância ao florescimento provocado por altas temperaturas.

Segundo o pesquisador Fábio Suinaga, coordenador do programa de melhoramento genético de alface da Embrapa Hortaliças em Brasília, houve um esforço de pesquisa para adaptar a espécie – natural de climas mais amenos – às condições tropicais do Brasil. "Principalmente porque temperaturas elevadas podem fazer a planta florescer antes da hora e produzir látex, uma substância que provoca um amargor nas folhas", explicou.

Suinaga pontua que há um limite da própria variedade de até onde pode ir a tolerância ao calor excessivo. "Mas ainda não chegamos nesse limiar. Em geral, as cultivares podem ser mais adaptadas ao clima tropical de altitude, com picos de altas temperaturas, mas noites mais frias", afirmou.

De acordo com a Embrapa, a cultivar de alface se destaca pelo vigor no crescimento vegetativo – em média, sete dias mais precoce que as cultivares comerciais no mercado. "Mesmo em condições de temperatura superior à faixa ideal de cultivo, as plantas atingem o ponto de colheita, com qualidade e padrão comercial, em um menor intervalo de tempo", ressaltou a estatal, em nota.

Já é possível comprar a cultivar em distribuidores de hortaliças. "Há uns três meses que ela já pode ser encontrada. O preço é bem similar às demais cultivares da variedade", disse Suinaga.

A nova semente pode ser cultivada em todas as regiões produtoras de alface do país, em qualquer sistema de produção (campo aberto, hidroponia ou cultivo protegido). Ela possui também tolerância às principais doenças de solo da cultura: fusariose (fungo) e nematoides-das-galhas (um verme que ataca a planta).

A validação da cultivar foi realizada em conjunto com a empresa Agrocinco, que possui contrato de parceria em pesquisa e desenvolvimento com a Embrapa baseado na lei de Inovação Tecnológica e está licenciada para comercializar as sementes.

Por Kauanna Navarro | De São Paulo

Fonte : Valor

Compartilhe!