Embarques de carne suína crescem 20,3%

Foram exportadas 81,1 mil toneladas em fevereiro, contra 67,4 mil toneladas no mesmo período de 2020

As exportações brasileiras de carne suína, considerando todos os produtos, entre in natura e processados, registraram em fevereiro alta de 20,3%. De acordo com dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), foram exportadas 81,1 mil toneladas no mês, contra 67,4 mil toneladas registradas no mesmo período de 2020.

A receita das vendas de fevereiro totalizou US$ 185,7 milhões, número 19,9% maior em relação ao segundo mês de 2020, com US$ 154,9 milhões. No total do primeiro bimestre, as vendas de carne suína alcançaram 144,2 mil toneladas, volume 6,12% superior ao obtido no mesmo período do ano passado, com 135,9 mil toneladas. A receita dos dois primeiros meses de 2021 totalizou US$ 332,3 milhões, número 4,1% superior ao registrado no mesmo período do ano passado,com US$ 319,1 milhões.

O Rio Grande do Sul embarcou 21,32 mil toneladas em fevereiro, contra 16,4 mil toneladas no mesmo mês do ano passado. O resultado representa uma alta de 30% e mantém o estado no segundo lugar do ranking brasileiro. A receita totalizou US$ 50,65 mil – uma alta de 23,3% na comparação com os US$ 41,08 mil de igual período de 2020.No primeiro bimestre do ano, o estado exportou 40 mil toneladas, 28,74% superior ao registrado entre janeiro e fevereiro do ano passado, quando ficou em 31,07 mil toneladas.

"O cenário internacional segue altamente demandante pela carne suína do Brasil. Isto, no entanto, não tem afetado a oferta interna deste produtos, que segue ajustada", avalia Ricardo Santin, presidente da ABPA.

Principal destino das exportações brasileiras, a China importou em fevereiro 41,6 mil toneladas, volume 34% superior ao registrado no mesmo período de 2020. Também se destacaram no mês as vendas para o Chile, com 4,5 mil toneladas (+73,5%), Angola, com 3,4 mil toneladas (+7,4%), Singapura, com 3,3 mil toneladas (+43,8%) e Argentina, com 2 mil toneladas (+15%).

Fonte: Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *