Embarque de café rendeu US$ 2,6 bilhões até julho

O Brasil exportou 2,326 milhões de sacas de café em julho, volume 24,2% superior ao de igual mês de 2017, segundo o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). Os dados consideram os embarques de café verde, torrado e moído e solúvel e se baseiam nos certificados de origem da Organização Internacional de Café (OIC) emitidos.

Os embarques de café arábica somaram 1,668 milhão de sacas. com alta de 5,8%. Já os de conilon subiram impressionantes 1.749%, para 366,663 mil sacas, um recorde para este ano.

A receita com os embarques de café no mês passado subiu 10,8%, em comparação com julho de 2017, para US$ 337,187 milhões, com um preço médio de US$ 144,96 por saca, recuo de 10,8% em relação ao preço de exportação de julho do ano passado.

Considerando o acumulado de janeiro a julho, as exportações somaram 16,9 milhões de sacas, 0,3% menos que no mesmo intervalo de 2017. Os números também incluem café verde e industrializado. Embora o volume tenha ficado quase estável, a receita no período caiu 10,9% em relação a igual intervalo de 2017, para US$ 2,608 bilhões, refletindo a retração de 10,6% no preço médio.

"Apesar dos problemas observados na movimentação de carga nos portos e navios, que influenciaram os embarques de café no mês de julho, os resultados foram positivos e se mostraram acima do esperado", disse o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes, em nota. Ele destacou ainda o desempenho das exportações do café conilon, "sinalizando uma boa safra neste novo ano cafeeiro 2018/19".

A alta dos embarques de conilon reflete a recuperação da produção após dois ciclos de queda na colheita em função da seca no Espírito Santo, o principal produtor.

"As exportações brasileiras indicam uma tendência positiva em termos de quantidade, graças ao bom trabalho dos produtores e ao clima (…)", acrescentou em nota.

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Fonte : Valor