Em alta, setor agrícola agora atrai crédito de banco privado. Riscos como pragas e seca afastavam instituições de segmento de R$ 78 bi

 

O agronegócio, um dos poucos setores em crescimento no país, tem despertado o interesse de bancos privados e investidores do mercado de capitais, antes avessos a riscos do campo como estiagem e pragas. O crédito na cadeia agropecuária, que totalizava R$ 78 bilhões em novembro passado, estava nas mãos do Banco do Brasil e dependia quase que exclusivamente de empréstimo subsidiado.

A principal disputa deve ser pela fatia de financiamento hoje nas mãos das tradings, que antecipam o pagamento por commodities, e dos fornecedores de insumos, que vendem”fiado”para receber após a colheita. Bradesco, Itaú e Santander têm se aproximado dos produtores. O terceiro está contratando agrônomos para visitar fazendas e entender as demandas do setor.

As instituições financeiras planejam também estender crédito para outros elos da cadeia do agronegócio, como indústria, comércio, transporte e distribuição. A aposta dessas empresas é reflexo do desempenho do setor,que cresceu 2,1% de janeiro a setembro de 2015, ante queda de 3,2% do PIB brasileiro no mesmo período. A agricultura foi o único segmento do país com saldo positivo de vagas de trabalho no ano passado — foram criados 9.821 postos. A reportagem completa está na Folha de São Paulo.

por Equipe do site

Fonte : Felipevieira.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *