Eletrobras encaminha venda de parques eólicos gaúchos

Grupo Omega ofertou R$ 568,4 milhões pelos empreendimentos

A Eletrobras está ultimando a alienação de parques eólicos que estão sob seu controle em Santa Vitória do Palmar e no Chuí. Na quinta-feira, a estatal divulgou um fato relevante informando que o grupo Omega Geração ofertou R$ 568,4 milhões por esses empreendimentos.

O negócio envolve ainda a assunção de dívida na ordem de R$ 955,9 milhões. Os ativos fazem parte de uma série de participações em Sociedades de Propósito Específico (SPEs) que a estatal pretendia se desfazer há algum tempo.

A companhia agrupou os complexos a serem vendidos em lotes. O primeiro diz respeito à Santa Vitória do Palmar Holding, na qual a Eletrobras tem 78% de participação. Para esse empreendimento, a oferta da Omega foi de R$ 434,4 milhões.

A Santa Vitória do Palmar Holding é composta por 16 parques eólicos, com 201 aerogeradores, que somam 402 MW de potência instalada (em torno de 10% da demanda média de energia do Rio Grande do Sul). O início da operação da usina aconteceu em abril de 2015.

Já o segundo lote é composto por quatro empresas: Eólica Hermenegildo 1, 2 e 3 e Eólica Chuí 9. Os complexos sob responsabilidade dessas companhias controladas pela Eletrobras somam 180,8 MW. Para esse conjunto de usinas, a Omega pretende desembolsar R$ 134 milhões. São 12 parques eólicos, que contam com 101 aerogeradores, tendo a geração começado também em 2015. As propostas, após a análise do Conselho de Administração da Eletrobras, para serem aprovadas dependem de deliberação da Assembleia Geral de Acionistas a ser realizada em 2 de setembro de 2020.

Fonte: Jornal do Comércio

Compartilhe!